Ícone (semiótica)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ícone, para a Semiologia e a Semiótica, é um signo visual (uma imagem) que representa outro objeto por força de semelhança. Ícones são signos substitutivos (podem ser usados no lugar da coisa representada) de conteúdo derivativo: a foto de uma paisagem, por exemplo, representa a própria paisagem, o mapa de uma região representa a própria região, etc.

O ícone possui relação de semelhança com o objeto que representa. Ele possui três níveis:

  • imagem (aparência visual) - ex. caricatura
  • diagrama (relações internas e estruturais) - ex. um mapa
  • metáfora (possui significado semelhante em algum aspecto) - ex. o leão, uma fera indomável, associado ao Imposto de Renda.

Peirce dizia: "Defino um ícone como sendo um signo que é determinado por seu objeto dinâmico em virtude de sua natureza interna".