Ambiente de trabalho remoto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde outubro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Um ambiente de trabalho remoto envolve um servidor de terminais e vários terminais que arrancam o seu sistema operativo a partir do servidor, e em que todas as operações realizadas no terminal são, na verdade, realizadas no servidor, sendo que o terminal serve apenas a interface visual e de entrada para as aplicações. Isto permite uma centralização da capacidade de processamento e outros recursos.

Definição[editar | editar código-fonte]

Um parque informático típico é constituído por computadores pessoais completos, cada um com os seus dispositivos de armazenamento, e periféricos distintos. Embora comum e de implementação direta, esta solução apresenta diversos problemas de manutenção: quando um disco ou outro periférico se estraga, é necessário substituí-lo (o terminal fica desligado durante esse tempo, e possivelmente o serviço que dele depende); são também necessárias reinstalações periódicas do sistema operativo (e diversas aplicações) dado o frequente decréscimo de desempenho dos computadores com a sua utilização ao longo do tempo.

Os servidores de terminais permitem implementar, em cada terminal, ambientes de trabalho remoto, sendo esta gestão feita apenas uma única vez (no servidor), como sugere a Figura 1. Esta centralização permite investir em sistemas mais potentes para servidores, e reutilizar máquinas consideradas desatualizadas para uma utilização comum. Introduz-se assim o conceito de thin client e terminal, que não são mais que computadores reduzidos ao seu mínimo de dispositivos — um thin client é um computador desprovido de suporte de armazenamento, com um mínimo de RAM e uma placa gráfica simples, uma placa de rede, e interfaces de entrada como teclado, rato, etc. O thin client arranca o sistema operativo pela rede (arranque remoto) e estabelece as ligações necessárias para criar uma sessão de trabalho no servidor, visível e controlável no thin client.

Não é apenas no plano financeiro que esta arquitetura favorece o técnico de informática. Com efeito, as aplicações a serem servidas vão passar a ser instaladas uma única vez, em oposição às dezenas de instalações individuais, típicas num média empresa. Assim, toda a manutenção do parque informático é beneficiada.

Em contrapartida, com a falha do servidor de aplicações, todos os terminais irão estar indisponíveis! Há então, dependendo das exigências, que garantir um determinado nível de disponibilidade, sob pena de manter a organização inoperacional.

Protocolos[editar | editar código-fonte]

Soluções (software)[editar | editar código-fonte]