Bacia Tolstoj

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bacia Tolstoj
Mercury h08 Tolstoj quadrangle.png
Tolstoj está localizada em baixo, a direita do centro.
Coordenadas 16.3° S′ 163.5 W° globe:Mercury_type:landmark′ {{{6}}}
Diâmetro 390 km
Epônimo Leo Tolstoy[1]

A bacia Tolstoj é uma grande e antiga cratera de impacto na latitude −15, longitude 165 do planeta Mercúrio nomeada em homenagem a Leo Tolstoy. O albedo da Solitudo Maiae parece estar associado a esta cratera.[2] O impacto que produziu a bacia Tolstoj parece ter acontecido bem no início da história mercuriana, dois ásperos anéis descontínuos de aproximadamente 356 km e 510 km de diâmetro englobam a estrutura, mas são pouco desenvolvidos nas suas regiões norte e nordeste. Caminhos difusos de material escuro do albedo repousam sobre o anel interior e a parte central da bacia é coberta por uma planície suave com alta refletância (HPR).[3] O brilho interior da bacia é visivelmente mais vermelho do que a planície circundante, que são feitas de um material de reflexão azul (LRM). O anel escuro de material ejetado que cerca Tolstoj é um dos lugares mais escuros da superfície de Mercúrio.[4]

A profundidade da bacia é estimada entre 1,3 e 2,7 kilômetros dos modelos de elevação digitais baseados nas imagens da sonda Mariner 10. Esta profundidade é significantemente menor que as profundidades de bacias lunares de diâmetro próximo, indicando que Tolstoj foi provavelmente descontraída após o impacto formador.[3] A bacia Tolstoj é utilizada para definir o Sistema tempo-estratigráfico, ou sistema Tolstojano, com uma idade aproximadade 4 bilhões de anos. O sistema anterior (< 4 bilhões de anos) é chamado pré-Tolstojano enquanto o mais novo é chamado Caloriano (entre 3.9–3.5 bilhões de anos).[5]

Apesar da idade de Tolstoj e embaciamento por planos inter-crateras antigos, esta mantém um extenso e notoriamente bem preservado, radialmente linear, material ejetado em torno de dois terços de sua circunferência. O material ejetado tende a ser bloqueado e ser fracamente linear entre os anéis interiores e exteriores. O padrão linear incomum de material ejetado sugere:

  • controle do padrão de material ejetado por estruturas pré-bacia;
  • caminhos preferenciais ao longo da estrutura de um material ejetado originalmente pelos materiais dos planos inter-crateras;
  • formação de Tolstoj por um impacto oblíquo na área noroeste que produziu o material ejetado com simetria bilateral.

Referências

  1. Mercury: Tolstoj.
  2. Davies, M. E., Dwornik, S. E., Gault, D. E., and Strom, R. G., 1978, Atlas of Mercury: National Aeronautics and Space Administration Special Publication SP-423, 128 p.
  3. a b (2009) "Shallow basins on Mercury: Evidence of relaxation?". Earth and Planetary Science Letters 285: 355–363. DOI:10.1016/j.epsl.2009.04.023.
  4. Denevi, Brett W.. (2009). "The Evolution of Mercury’s Crust: A Global Perspective from MESSENGER" (em inglês). Science 324: 613–18. DOI:10.1126/science.1172226.
  5. (2001) "Geologic evolution and cratering history of Mercury". Planetary and Space Science 49: 1507–21. DOI:10.1016/S0032-0633(01)00089-7.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]