Bahr al-Ghazal do Norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bahr al-Ghazal do Norte
Xamāl Baḥr al-Ghazāl
شمال بحر الغزال‎
Localização no Sudão do Sul
Localização no Sudão do Sul
8° 44' N 26° 54' E
País Flag of South Sudan.svg Sudão do Sul
Região Bahr el Ghazal
Capital Aweil
Administração
 - Governador Paul Malong Awan Anei
Área
 - Total 33 558 km²
População (Censo 2008)[1]
 - Total 720 898
    • Densidade 21,5/km2 
 - Horário de verão +3 (UTC)

Bahr al-Ghazal do Norte (em árabe: شمال بحر الغزال‎, transliterado: Xamāl Baḥr al - Ghazāl) é um estado (wilayat) do Sudão do Sul. Faz igualmente parte da região tradicional de Bahr al-Ghazal. Tem uma área de 33 558 km² e uma população de 720 898 habitantes (censo de 2008). Faz fronteira com o Darfur do Sul a norte, Bahr al-Ghazal Ocidental a oeste e sul e com Warab e Abyei a leste. A cidade de Aweil é a capital do estado.

Devido à sua proximidade ao Cordofão e à presença de uma linha ferroviária que o atravessa até Waw, o estado sofreu extensivamente com a recente guerra civil no Sudão do Sul. Bahr al-Ghazal do Norte e as partes adjacentes do Cordofão Ocidental a norte estão entre as regiões politicamente mais sensíveis do Sudão. Árabes missriyas (nómadas de origem egípcia) do Cordofão têm interagido com os dinkas nesta região ao longo do tempo. Enquanto que as relações durante a época colonial eram maioritariamente pacíficas, a recente guerra viu uma explosão nas hostilidades. O apoio governamental aos missriyas deu-lhes uma vantagem decisiva sobre os grupos dinkas locais. Incursões feitas por milícias murahileen, somadas a outras milícias pertencentes aos próprios grupos dinkas e apoiadas igualmente pelo governo, resultaram em consideráveis perdas de vidas, raptos generalizados e pilhagens nas aldeias dinkas. Muitos desses raides coincidiram com o movimento de carruagens governamentais entre o Cordofão e Waw.

Divisão administrativa[editar | editar código-fonte]

O Bahr al Ghazal do Norte está dividido em cinco condados:[2]

Condado População
(Censo 2008)
Aweil do Norte 129 127
Aweil Oriental 309 921
Aweil Ocidental 166 217
Aweil Central 41 827
Aweil do Sul 73 806

Governo[editar | editar código-fonte]

Paul Malong Awan é o governador do estado, tendo feito o juramento para o gabinete de estado a 22 de julho de 2008. Os seus membros são:

  • Deputado-Governador e Ministro da Informação e Comunicação - Arkenjelo Athian Teng Angok
  • Ministro-Estadual das Finanaças - Ajou Garang Deng (Ajou Makot)
  • Ministra-Estadual da Saúde - Sra. Akon Bol Akok
  • Ministro-Estadual dos Assuntos Parlamentares - Garang Diing Akuong
  • Ministro-Estadual da Educação, Ciência e Tecnología- Stephen Chol Unguec
  • Ministro-Estadual dos Agentes do Governo Local e de Aplicação da Lei - Bak Lual Bol (Bak Abu-ajac)
  • Ministro-Estadual das Infraestruturas Físicas - Giir Riiny Lual
  • Ministro-Estadual da Agricultura - Angui Akot
  • Secretário-geral do Concelho de Ministros Estadual - Yel Deng Nguel

Os conselheiros de estado são:

  • Pio Tem Kuac Ngor - conselheiro político
  • Tong Atak Mel - conselheiro para os assuntos económicos
  • Akok Bol Mador - governo local
  • Riak Wol Atuer - conselheiro para a segurança

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Francis M. Deng, 1995, War of Visions, Conflict of Identities in the Sudan, (Washington D.C.: Brookings)
  • Human Rights Watch, 1999, Famine in Sudan, 1998, The Human Rights Causes, (New York, Human Rights Watch).
  • Dave Eggers, 2006, What is the What, (New York, Vintage Books).
  • David Keen, 1994, The Benefits of Famine, A Political Economy of Famine and Relief in Southwestern Sudan, 1983 - 1989, (New Jersey, Princeton University Press).

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • John Ryle, Jok Madut Jok and Fergus Boyle, 2003, Sudan Abduction and Slavery Project, Abductee Database 2003 Report
  • "Northern Bahr el Ghazal State gets in new cabinet"


Ícone de esboço Este artigo sobre o Sudão do Sul é um esboço relacionado ao Projeto África. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.