Bilala

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Os Bilala, ou Bulala, são um povo muçulmano que vive próximo ao lago Fitri, na prefeitura de Batha, no centro do Chade. O último censo chadiano em 1993 estimou um número de 136.629 pessoas. Sua linguagem, dividida em quatro dialetos, é do grupo Nilo-Saariano, e é muito parecida com as de dois de seus vizinhos, os Kuka e os Medogo. Esses três povos são coletivamente conhecidos como Lisi e acredita-se serem descendentes dos grupos étnicos principais do sultanato de Yao.

Eles foram vistos pela primeira vez no século 14, próximo ao lago Fitri, como um clã nômade liderado por descendentes da dinastia Sayfawa. Assentado a leste do Império Kanem, no atual Chade, eles destruíram o poder do império, matando cinco de seis mais (reis) de Kanem entre 1376 e 1400. No final, os bulala conquistaram Kanem e forçaram os mais de Kanem a migrar para Bornu. Como resultado, os Bulala controlaram Kanem, fundando no século 15 o sultanato muçulmano de Yao. Porém, o Império Kanem-Bornu contra-atacou um século mais tarde sob o comando de Ali Gaji, e, por fim, Kanem foi retomada pelo filho de Ali, após uma grande batalha em Garni Kiyala, forçando os Bulala a irem para o leste, onde eles permaneceram como uma ameaça por séculos ao Kanem-Bornu. O reino continuou a ser notável: o viajante Leo Africanus até achou que o reino de Bulala era mais rico que o Kanem-Bornu por seu comércio próspero com o Egito.

Seu poder sobreviveu de forma diminuta até o colonialismo, quando foram submetidos ao domínio dos franceses.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]