Biopoder

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Biopoder é um termo criado originalmente pelo filósofo francês Michel Foucault para referir-se à prática dos estados modernos e sua regulação dos que a ele estão sujeitos por meio de "uma explosão de técnicas numerosas e diversas para obter a subjugação dos corpos e o controle de populações". Foucault usou-o em seus cursos no Collège de France, mas ele apareceu pela primeira vez em A vontade de saber, primeiro volume da História da Sexualidade.

Tanto na obra de Foucault quanto na de teóricos posteriores, o termo tem sido usado em referência a práticas de saúde pública, regulação de hereditariedade e regulação de risco (François Ewald), entre outras coisas freqüentemente menos ligadas diretamente à saúde física literal. Está intimamente relacionado com outro termo que ele usa com muito menos freqüência, mas que pensadores subsequentes adotaram independentemente: biopolítica.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Michel Foucault. História da Sexualidade, volume I, parte cinco.
  • Michel Foucault. A Vontade de Saber. Rio de Janeiro: Graal, 1977.
  • Michel Foucault. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2000.
  • Giorgio Agamben. Homo Sacer
  • Michael Hardt e Antonio Negri. Empire.
  • Michael Hardt e Antonio Negri. Multitude: War and Democracy in the Age of Empire.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.