Camerata Fiorentina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Camerata Fiorentina foi uma academia informal de aristocratas humanistas que se reunia em Florença, em Itália, sob a liderança de Giovanni de' Bardi, Conde de Vernio. A Camerata Fiorentina, onde se discutia literatura, ciências, artes e onde se executava música, teve o apogeu da sua influência cultural e científica entre os anos de 1577 e 1582.

Os intelectuais da Camerata criticavam o uso excessivo da polifonia, então bastante popular, à custa da inteligibilidade do texto cantado. Os intelectuais da Camerata tentaram, por este motivo, transpor os ideais da cultura grega para a música, sobretudo a tragédia e a retórica, que, argumentavam, melhor representavam e faziam transmitir estados de alma ou paixões através das inflexões da voz. O seu ponto de partida foi a monodia (canção italiana para voz solista com acompanhamento harmónico, geralmente cravo ou alaúde, que deveria ser cantada ao ritmo da fala) — o sentido do texto deveria condicionar, portanto, as opções na composição.1

Foi como consequência desta procura dos ideais clássicos que surgiu a ópera, tendo a primeira obra dramática inteiramente musicada, Dafne (com música de Jacopo Peri e libreto de Ottavio Rinuccini), sido executada pela primeira vez em 1597.

Referências

  1. Santos, Lina Trindade; Carlos Carlos. O Sentido da Música. 1ª ed. Lisboa: Lisboa Editora, 2008. Capítulo: Música e Acção Cénica - A Ópera. , p. 75. ISBN 978-972-680-651-6
Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.