Chapar Khaneh

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Chapar Khaneh, termo em persa que pode ser traduzido como "casa do mensageiro" (onde Chapar significa "mensageiro"), era utilizado para se referir ao serviço postal utilizado durante o Império Aquemênida. O sistema foi criado por Ciro, o Grande, fundador do império, e desenvolvido posteriormente por Dario, o Grande, e servia como o principal meio de comunicação real por todo o território imperial. Cada "Chapar Khaneh" consistia de uma estação localizada ao longo da Estrada Real, uma via de 2500 quilômetros que se estendia de Sárdis a Susa, ligando a maior parte das principais cidades do império.[1] [2]

O historiador grego antigo Heródoto deu a seguinte descrição da Estrada Real e dos diversos Chapar Khaneh ao longo dela:[3]

"Vêem-se, ao longo dessa estrada, habitações reais e belas hospedarias. A estrada oferece toda segurança e atravessa regiões densamente povoadas, servindo também à Líbia e à Frígia, onde existem vinte outras habitações reais. Saindo da Frígia, encontra-se o Hális, cuja travessia é feita, naquele ponto, através de pontes. Vê-se também ali um forte de tamanho considerável. Da Capadócia à fronteira da Cilícia há, por essa estrada, vinte e oito dias de viagem. Para atingir-se a fronteira, passa-se por dois desfiladeiros e dois grandes fortes. O Eufrates, cuja travessia e feita ali em batéis, serve de limite a essa região, separando-a da Armênia. Depois de percorrermos cinquenta e seis parasangas e meia pelo interior desse país, encontramos quinze habitações reais, que estão sempre guardadas por tropas. O país é banhado por quatro rios navegáveis, sendo o primeiro deles o Tigre; o segundo e o terceiro têm o mesmo nome, embora sejam diferentes e não venham do mesmo país; um nasce na Armênia, e o outro no país dos Macianos. O Gindo, que Ciro dividiu em trezentos e sessenta canais, é o quarto rio. Da Armênia à Maciana há uma distância de quatro dias de jornada. Vem, em seguida, a Císsia, que pode ser atravessada em onze dias, numa distância de quarenta e duas parasangas, até o Coaspes, sobre o qual fica a cidade de Susa."

Os Chapars eram mensageiros que, a cada estação, recebiam provisões e cavalos velozes, ao longo do caminho, o que permitia que completassem suas jornadas rapidamente.

Referências

  1. Xenofonte. The Cyropaedia": or, Institution of Cyrus, and the Hellenics, or Grecian history. (em inglês). [S.l.: s.n.].
  2. Briant, Pierre. From Cyrus to Alexander; a History of the Persian Empire. [S.l.]: Eisenbrauns, 2006. 62–64 pp.
  3. Heródoto (Traduzido do grego por Pierre Henri Larcher; versão para o português de J. Brito Broca). História (em português). eBooksBrasil.org. Página visitada em 7-8-2012.
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Chapar Khaneh».