Estrada Real Persa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde janeiro de 2013)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
mapa do Império Aquemênida e o Caminho Real.

A Estrada Real Persa foi uma antiga via construída pelo rei Persa Dario I no século V a.C.. Dario construiu a estrada para proporcionar uma comunicação rápida por todo seu grande império, desde Susa até Sardes.

Os mensageiros poderiam percorrer 2.699 km em sete dias. Acerca destes mensageiros, o historiador grego Heródoto registrou: "Não há nada no mundo que viaje mais rápidos que esses mensageiros persas". E ainda: "Nem a neve, nem a chuva, nem o calor e nem a escuridão da noite impedem que realizem a tarefa proposta a eles com a máxima velocidade".

O trajeto da Estrada Real[editar | editar código-fonte]

O traçado da estrada foi reconstruído a partir dos escritos de Heródoto, de outras fontes históricas e de pesquisa arqueológica. Iniciava-se no Oeste do Império, em Sardes (cerca de 60 milhas a Leste de Izmir na atual Turquia), em direção ao Leste através do atual meio-norte da Turquia até Nínive, a antiga capital Assíria (atual Mossul, no Iraque) onde então infletia para o Sul, até à Babilônia (atual Bagdá, no Iraque). Próximo à Babilônia, acredita-se que se dividia em duas rotas, uma dirigindo-se para o Noroeste e então para o Oeste através de Ecbátana e então através da Rota da Seda, e outra prosseguindo para o Leste até à futura capital persa, Susa (atual Irão) e então para o Sudeste até Persépolis.

A história[editar | editar código-fonte]

Por não seguir exatamente o caminho mais curto e fácil entre as cidades mais importantes do Império Aquemênida, arqueólogos acreditam que a parte oeste da estrada foi, originalmente, construída pelos reis da Assíria, já que ela avança por dentre o coração desse antigo império. As partes mais ao leste da estrada (hoje em dia, o norte do Irã) coincidem com a maior rota de comércio já conhecida, a Rota da Seda.

Entretanto, Dário I fez a Estrada Real como é conhecida hoje ao investir na estrutura da estrada e ao unir suas partes completamente, primeiramente como um modo rápido de comunicação usando os pirradaziš do reino, ou mensageiros.

A construção da estrada melhorada por Dário era de tamanha qualidade que ela continua a ser usada até os tempos romanos. Uma ponte em Diyarbakir, Turquia, ainda está lá desde o período de uso da estrada.

Referências Culturais da Estrada Real[editar | editar código-fonte]

É dito que Euclides respondeu ao rei Ptolomeu I à sua pergunta de como aprender matemática mais facilmente que: "Não há estrada real para a geometria". Essa frase foi citada num contexto moderno no ensaio "No Silver Bullet", onde Fred Brooks contou sobre os avanços da engenharia de softwares: "Não há estrada real, mas há uma estrada".

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.