Chapim-rabilongo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaChapim-rabilongo
Schwanzmeise.jpg

Estado de conservação
Status iucn3.1 LC pt.svg
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Passeriformes
Família: Aegithalidae
Género: Aegithalos
Espécie: A. caudatus
Nome binomial
Aegithalos caudatus
(Linnaeus, 1758)

O chapim-rabilongo (Aegithalos caudatus) classificado na superordem Passeri, subordem Passerida e família Aegithalidae, encontra-se nos bosques e florestas de grande parte da Península Ibérica. Ainda que pertença a uma família distinta dos "verdadeiros" chapins, a família Parus, estas duas famílias estão intimamente relacionadas.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Distingue-se pela sua cauda, com cerca de oito a nove centímetros, mais longa que o resto do corpo. Mede cerca de 14 cm a 16 cm (do bico à cauda) e tem um peso de cerca de dez gramas.

No norte da Europa existe a subespécie A. c. caudatus que apresenta cabeça branca e as asas quase todas brancas, enquanto a subespécie A. c. rosaceus, na Europa ocidental, é caracterizado por uma larga faixa escura em arco por cima do olho, as escapulares de cor amarela rosada intensa, uropígio e painéis das asas esbranquiçados. Na Europa central existem populações de formas mistas das duas formas. Os juvenis apresentam as bochechas e o pescoço escuros, não apresentando os flancos rosáceos como os adultos.

Os rabilongos na península ibérica são mais escuros, com os lados da cabeça riscados, os flancos de cor de vinho e o dorso quase preto, com a cauda comparativamente mais curta.

As patas são negras.

Habitat e distribuição[editar | editar código-fonte]

Encontra-se em jardins, parques e bosques caducifólios abertos e mistos, preferindo as aveleiras e arbustos.

Alimentação[editar | editar código-fonte]

No verão alimentam-se principalmente de pequenos insectos e aracnídeos mas não rejeitam rebentos e pequenos frutos. No inverno alimentam-se de sementes gordas.

Comportamento[editar | editar código-fonte]

Gregarismo[editar | editar código-fonte]

Durante o inverno é frequentemente avistado em companhia de outros chapins, mas sempre em pequenos bandos. Não é demasiadamente territorial, fazendo por vezes ninhos próximos uns dos outros.

Vocalização[editar | editar código-fonte]

Os chamamentos são um "tserr" áspero, semelhante ao da carriça, um "tett" chiado e um "srii-srii-srii". O canto é um trinado fraco, monótono, "sii uiuiuiuiui", semelhante ao do chapim-azul.

Reprodução[editar | editar código-fonte]

Ninho[editar | editar código-fonte]

Constrói ninhos muito elaborados em forma de bolsa e com entrada lateral, usando musgo, pelos de animais e penas, fixando o conjunto com teias de aranha. O ninho é ampliado conforme as crias vão crescendo.

Postura e ovos[editar | editar código-fonte]

A postura consiste em oito a doze ovos brancos com pintas vermelhas.

Incubação[editar | editar código-fonte]

Os ovos são incubados durante 12 a 14 dias.

1º voo[editar | editar código-fonte]

As crias estão prontas a voar ao fim de 12 a 14 dias.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Chapim-rabilongo