Ciências do comportamento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde Março de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.

Costuma chamar-se de ciências do comportamento um campo multidisciplinar de especialidades científicas, interligadas entre si de modo a compor um quadro amplo de entendimento sobre variados aspectos do comportamento humano.

Estas especialidades científicas são, entre outras, Antropologia, Biologia, Bioquímica, Filosofia, Fisiologia, Neurologia, Pedagogia, Psicologia e Sociologia.

O desafio principal das ciências do comportamento é construir pontes operativas entre os diferentes objetos de estudo e os diferentes conceitos próprios de cada especialidade, de modo a articular produtivamente os conhecimentos de cada especialidade em modelos coerentes ou complementares entre si, nas tarefas de compreender os processos e os determinantes do comportamento humano. As ciências do comportamento humano e a REP


O comportamento humano, considerado a partir da ação dos componentes e constituintes psíquicos, é a conduta dos indivíduos, que se estende num imenso território de possibilidades e variações. Toda atitude e comportamento humano, sem diferenciar entre certo e errado, normal e anormal, tem sido instrumento de interesse e de análise desde os filósofos gregos, época em que tiveram início esses estudos. E, para uma melhor compreensão do assunto, é necessário conhecermos os fatores que envolvem e interessam ao ser humano e que interferem, auxiliam ou prejudicam a sua relação social diária. Por esse motivo, faço neste capítulo um resumo do conteúdo de algumas ciências.

Alguns questionamentos atravessam os séculos e as gerações: O que é o homem? Qual a sua natureza? O que é a natureza humana? São séculos e séculos de interrogações, em que todos desejam resposta a essas importantes perguntas. Foi na tentativa e pela necessidade de responder a esses e outros questionamentos que o mundo científico se estruturou e se organizou em setores específicos de estudo.

Inicialmente, as ciências confundiam-se e entravam umas no campo de estudo das outras. Somente com o avançar dos séculos, dos estudos, dos erros, das falhas, dos equívocos, dos experimentos, das invenções, dos desenvolvimentos práticos e teóricos, foi ocorrendo uma natural arrumação e a independência de cada uma das ciências. Segue-se então uma breve definição das principais ciências:

Filosofia

“Filosofia” é um termo com variadas definições, tanto quanto os ramos dessa ciência. É um conjunto de conhecimento ou idéias desenvolvidas segundo parâmetros racionais, práticos ou teóricos acerca das coisas e dos seres. As primeiras idéias foram desenvolvidas no século VI a.C., com o filósofo grego Tales de Mileto e, mais tarde, com Platão, Sócrates e Aristóteles. Eis alguns dos principais filósofos: Tales de Mileto (c. 630-545 a.C.), matemático e filósofo grego; Sócrates (c. 470-399 a.C.), Demócrito (460-370 a.C.), Platão (428-348 a.C.) e Aristóteles (384-322 a.C.), filósofos gregos; Roger Bacon (1214-1294) e Francis Bacon (1561-1626), filósofos ingleses; Descartes (1596-1650), filósofo francês; Leibniz (1646-1716), matemático e filósofo alemão; La Mattrie (1709-1751); Kant (1724-1804), filósofo alemão.

Física

Física é a ciência que estuda os fenômenos naturais e as propriedades da matéria, segundo ordem e critérios teóricos e experimentais. Os mais importantes físicos: Arquimedes (287-212 a.C.); Ptolomeu (100-178); Copérnico (1473-1543); Galileu (1564-1642); Kepler (1571-1630); Newton (16421727), matemático, físico e astrônomo inglês, suas pesquisas causaram uma verdadeira revolução na história de diversas ciências; Bessel (1784-1846); Einsten (1879-1955), um dos maiores cientistas do século XX.

Biologia

Biologia é a ciência que estuda a estrutura, a função e a evolução dos seres vivos. Destacaram-se nesse ramo da ciência: Hipócrates (460-380 a.C.), considerado o pai da medicina; Herófilo e Erasistrato (século III a.C.); Galeno (século II); Vesálio (1514-1564); Harvey (1578-1657); Van Leeuwenhoek (1632-1723); Lineu (1707-1778).

Psicologia

Psicologia é a ciência que estuda a conduta dos organismos superiores em geral e em especial o homem. Produto dos séculos XIX e XX, estuda as relações entre os sentimentos, pensamentos, emoções, fenômenos psíquicos e seus efeitos sobre o comportamento humano. É melhor definida como a ciência do comportamento. No século XIX, conquistou a sua independência da filosofia, traçando os seus próprios caminhos. Por ser uma ciência que estuda o comportamento humano, é às vezes citada junto com a medicina, a biologia, a sociologia e a antropologia.

As principais escolas de psicologia atualmente são:

Estruturalismo. Sistema que sublinha a importância da análise da consciência em seus elementos através do método de introspecção (exame interior).

Funcionalismo. Sistema psicológico que destaca a importância da função ou utilidade do comportamento em sua adaptação ao meio.

Associacionismo. Escola de psicologia que estuda os princípios de associação de idéias (ou de palavras ou de conexões estímuloresposta), analisando os eventos complexos nos mais simples.

Behaviorismo. Escola de psicologia segundo a qual todas as funções psicológicas podem ser explicadas em termos de reações musculares e secreções glandulares. Portanto, é o estudo objetivo dos aspectos de estímulo e resposta (ou reação) no comportamento. Estuda-se a conexão estímuloreação mediante métodos objetivos.

Gestaltismo. Sistema em que apenas se pode chegar a formulações úteis através da consideração de grandes unidades de estímulo e resposta.

Psicanálise. O núcleo central é a motivação, da qual uma grande parte é inconsciente e deve ser analisada pelas suas manifestações: sonhos, erros, sintomas ou livre associação. A psicanálise enfatiza a relação entre motivação inconsciente, conflito e simbolismo.

Sociologia

Ciência que estuda o comportamento humano e sua interação e relação social entre indivíduos ou grupos de indivíduos.

Antropologia

Ciência que estuda e classifica, sob os aspectos biológicos e culturais, todos os grupos em que se constitui o gênero humano.

Medicina

Conjunto de ciências e técnicas que objetiva curar, prevenir e amenizar a ação das doenças sobre o corpo humano.

Psiquiatria

Ramo da medicina que objetiva o tratamento, diagnóstico e prognóstico das alterações mórbidas (doença, enfermidade) da vida psíquica.

Fisiologia

Ciência que estuda as funções dos organismos vivos e o processo de seus mecanismos físicos e químicos.

Genética

Ciência cujo objeto é a herança biológica através dos caracteres morfológicos, estruturais, bioquímicos e comportamentais, que são transmitidos de uma espécie para outra através das gerações.

Terapêutica

Ramo da medicina que estuda o tratamento das doenças segundo técnicas e medicamentos, visando restabelecer a saúde psíquica e física do indivíduo.

A Revolução Emocional e Psíquica — REP — é uma ciência comportamental constituída por um conjunto teórico específico e que se apresenta com uma linha de teses definidas, objetivando o diagnóstico e o tratamento dos distúrbios de comportamento e das alterações dos processos mentais. Possui uma ampla aplicação prática dentro da psicologia e das demais ciências que estudam o comportamento humano.

O tratamento utilizado e indicado pela REP tem como objetivo principal a restauração dos mecanismos de adaptação do indivíduo consigo mesmo e com o seu meio social. A terapia utilizada tem de trabalhar gradativamente no sentido de substituir os valores e fundamentos reconhecidamente nocivos ao homem interior, de modo que ele possa alcançar uma diminuição progressiva da tensão e dos conflitos internos e recuperar e reforçar os seus mecanismos psíquicos de defesa. O tratamento visa sempre adaptar racionalmente o indivíduo com o seu sistema tricotômico ( pneuma , psique e soma ). A REP, portanto, é o estudo do comportamento humano e das alterações nos processos mentais a partir da tricotomia do homem.

Por que “revolução”?

Agitação, mudança, alteração e transformação: esses sinônimos da palavra “revolução“, entre outros, exprimem, no melhor sentido da palavra, a ação das emoções sobre os componentes psíquicos.

Por que “emocional e psíquica”?

Devido ao poder significativo das emoções sobre a estrutura psíquica do homem. A partir do momento em que se consegue definir emoção, psique e tricotomia, consegue-se encontrar as respostas para as variações no comportamento humano e nos processos mentais.

A REP e a tricotomia

A REP identifica a tricotomia como ponto de partida para os seus estudos por reconhecer a íntima ligação e a relação que existe entre os seus componentes. Assim, o estudo do comportamento humano torna-se possível devido ao fato de os três componentes constituírem na verdade um ser humano completo. Cada compartimento da tricotomia possui definições e necessidades distintas, havendo uma permanente interação entre os três componentes.

A real saúde psíquica e física e a adaptação social de que todos nós precisamos não podem ser adquiridas por partes ou isoladamente, é necessário que haja uma integração tricotômica satisfatória, com o tratamento específico que requer cada uma dessas áreas, o que certamente resultará em uma distinta e notável ação terapêutica.

A REP visualiza uma saúde completa, isto é, um cuidado pertinente à tricotomia humana, de forma que uma área não prejudique a outra. É urgente a atenção e compreensão para com a tricotomia humana, pois qualquer desajuste dentro desse sistema fará surgir os distúrbios de comportamento e as alterações nos processos mentais, sempre com repercussão física.

A REP estuda a ação das experiências afetivas sobre a estrutura tripartida do ser humano, bem como os fenômenos psíquicos e seus variados distúrbios de comportamento, e define detalhadamente cada parte do ser humano. As principais partes e valores que compõem o vocabulário da REP são os seguintes:

TRICOTOMIA

PNEUMA

PSIQUE

SOMA

ESPÍRITO

MENTE

CORPO

SENTIDOS E SAÍDAS

VERBO

PALAVRA

EMOÇÃO

SENTIMENTO

CARÁTER

AUTO-ESTIMA

PERSONALIDADE

ÁGAPE

VIDA

THANATOS

MORTE

GOVERNO

PORTA Essas palavras, com as suas respectivas definições, compõem a Revolução Emocional e Psíquica.

Bibliografia : http://portalpsique.wordpress.com/capitulo-1-as-ciencias-do-comportamento-humano-e-a-rep/