Cristo de São João da Cruz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cristo de São João da Cruz
Autor Salvador Dalí
Data 1951
Técnica óleo sobre tela
Dimensões 205 cm × 116 cm
Localização Museu e Galeria de Arte de Kelvingrove, Glasgow

Cristo de São João da Cruz é uma pintura do espanhol Salvador Dalí executada em 1951. É um óleo sobre tela com as dimensões de 205 x 116 cm. Encontra-se exposta no Museu e Galeria de Arte de Kelvingrove em Glasgow.

A pintura representa Jesus Cristo na cruz flutuando num céu escuro sobre um lago com um barco e pescadores, que alguns críticos apontam como sendo uma reprodução de Porto Ligat (Cadaqués, Espanha), onde o pintor tinha a sua casa.[1] Embora seja uma representação da crucificação, é desprovido de unhas, sangue e da coroa de espinhos, porque, de acordo com Dalí, segundo um sonho que teve, essas características não fariam a sua ideia de Cristo. Também a importância de representar Cristo num ângulo extremo foi lhe também revelado num sonho.

Características[editar | editar código-fonte]

A pintura é conhecida como o "Cristo de São João da Cruz," porque o seu projecto é baseado num desenho do século XVI do frade espanhol São João da Cruz. A composição de Cristo é também baseada num triângulo e num círculo (o triângulo é formado por braços de Cristo, o círculo é formado pela cabeça de Cristo). O triângulo, uma vez que tem três lados, pode ser visto como uma referência à Trindade, e o círculo pode ser visto como uma alusão ao pensamento platónico.[2] Dali retrata Cristo crucificado, omitindo o seu rosto obrigando o espectador a imaginá-lo. Foi pintado de uma perspectiva pouco comum, como se o artista fosse o próprio Deus olhando para o seu filho a sofrer.[3] O pintor é, igualmente, sugestionado pelos ambientes de Hollywood que estava a frequentar, recorrendo até a um duplo dos estúdios enquanto modelo. O quadro levou cinco meses a criar, concluindo-se em 1951.[1]

Na base dos seus estudos para a pintura, Dalí explica a sua inspiração:

"Em primeiro lugar, em 1950, tive um "sonho cósmico" no qual eu vi essa imagem em cores e que no meu sonho representava o núcleo do átomo. Este núcleo mais tarde assumiu um sentido metafísico; Eu considerava 'a própria unidade do universo', o Cristo."[4]

História[editar | editar código-fonte]

Os direitos de propriedade da pintura foram adquiridos pela Corporação de Glasgow no início de 1950 por £8.200, um preço considerado alto na época, e passou a ser exibido no Museu e Galeria de Arte de Kelvingrove na cidade. Em 1961, a tela foi danificada por um visitante do museu (usando um tijolo), porque ele se opôs ao ponto de vista do artista, Cristo devia estar a olhar para cima em vês do contrario. Desde então, foi restaurado com sucesso. Em 1993, a pintura foi deslocado para o Museu da Vida Religiosa e Arte de S. Mungo, mas voltou ao Kelvingrove aquando da sua reabertura, em Julho de 2006. O quadro venceu uma votação, para decidir qual a pintura favorita da Escócia em 2006, com 29% dos votos.[5]

Diz-se que o governo espanhol ofereceu £80 milhões para comprar a pintura, mas a oferta foi recusada.[3]

Referências

  1. a b temposinteressantes.blogspot.com DALI: O Cristo de S. João da Cruz
  2. Gaultier, Alyse. The Little Book of Dali. Paris: Flammarion, 2004.
  3. a b Ross, Peter (2 de julho de 2006), Palace of dreams — That's how Kelvingrove was described..., The Herald (Glasgow), http://findarticles.com/p/articles/mi_qn4156/is_20060702/ai_n16532511 
  4. Descharnes, Robert. Dali. New York: Harry N. Abrams, Inc., 2003.
  5. "Salvador Dali's 'Christ of St John of the Cross' Wins Herald Poll", GlasgowMuseums.com, August 30, 2005.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o(s) portal(is):
Portal da Arte


Ícone de esboço Este artigo sobre pintura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.