Daniel Damásio Ascensão Filipe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Daniel Damásio Ascensão Filipe (Ilha da Boavista, Cabo Verde, 1 de fevereiro de 19256 de abril de 1964) foi um poeta e jornalista de Cabo Verde[1] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Fez os seus estudos liceais em Portugal e, mais tarde, foi co-director dos cadernos "Notícias do Bloqueio", colaborador assíduo da revista "Távola Redonda" e do jornal Diário Ilustrado[2] (1956-), e também realizador, na Emissora Nacional, do programa literário "Voz do Império". Combateu a ditadura salazarista, sendo perseguido e torturado pela PIDE.

Seu primeiro livro foi Missiva, publicado em 1946. O reconhecimento viria com A Ilha e a Solidão (1957), com o qual conquistou o Prémio Camilo Pessanha[3] .

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Missiva (1946)
  • Marinheiro em Terra (1949)
  • O Viageiro Solitário (1951)
  • Recado para a Amiga Distante (1956)
  • A Ilha e a Solidão (1957)
  • O Manuscrito na Garrafa (romance, 1960)
  • A Invenção do Amor (1961)
  • Pátria, Lugar de Exílio (1963)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.