Despacho de Ems

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Despacho de Ems

O despacho de Ems (em alemão Emser Depesche) é um documento histórico. Foi o telegrama que relatava o encontro, em 13 de Julho de 1870 entre o Rei da Prússia Guilherme I e o embaixador da França na Prússia em Bad Ems no rio Lahn, perto de Koblenz, na altura pertencente à Prússia. Este telegrama foi encurtado por Bismark, de forma tal que o tornava uma afronta aos franceses, provocando a declaração de Guerra da França à Prússia em 19 de Julho de 1870, como desejado por Bismark para concluir a unificação de seu país.

Crítica de Sebastian Haffner[editar | editar código-fonte]

Sebastian Haffner chama em a este documento de "a maior glória da História" e usa-o como um exemplo da concepção divina que os alemães têm da política. Segundo Haffner, os alemães consideram que mentiras, extorsão, assassinatos, traições são fenômenos inadmissíveis na política, enquanto que na vida privada são os mais amáveis seres humanos:

Para o alemão médio existe uma moral privada e o mesmo vale para a política.
Outras nações têm a maior confiança naqueles políticos em que eles se reconhecem ... Os alemães, não são o contrário desejam regentes cuja política se assemelha às suas vidas privadas, regentes que são como iguais "significantes", "geniais"...
O mesmo pai alemão que admoesta o filho por ter batido numa criança mais nova ou por ter mentido, diz comovido: "Mas que homem genial ele foi, ao assumir a responsabilidade e ao mudar o despacho de Ems"