Dique seco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Doca seca em França
Navio em doca seca em Antuérpia / Bélgica

Dique seco ou doca seca é um recinto cavado à beira de um braço de água (mar, rio, etc) de forma a receber uma ou mais embarcações em simultâneo para vistorias, fabrico, limpeza ou construção, sendo mais uma Oficina-Naval que um Estaleiro, propriamente dito. No fundo da doca seca existem picadeiros onde as embarcações assentam as quilhas; as paredes laterais vão alargando para a parte superior para facilitar a circulação do pessoal e os escoramento das embarcações.

Na extremidade que comunica com a água há uma porta estanque (porta batel); após a entrada da embarcação, estas portas são fechadas e a água que havia entrado na doca é bombeada para fora. No processo inverso, para a saída da embarcação, a água é bombeada até um nível que permita a abertura das portas sem que o caudal da entrada ponha em risco a estabilidade da embarcação dentro da doca.[1]

Estas reparações que se efetuam de forma periódica recebem o nombre de carenado. São efetuadas nas partes do casco conhecida como carena.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dicionário Ilustrado de Marinharia, Livraria Clássica Editora.