Antuérpia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Flag of Belgium (civil).svg  Antuérpia
OLV-Kathedraal.jpg
Vista aérea de Antuérpia com a catedral ao centro
AntwerpenLocatie.png
localização do município, no distrito e na província
Brasão Bandeira
Wapenantwerpen.jpg Flag of Antwerp (City).svg
Geografia
Região Flandres
Província Antuérpia
Distrito Antuérpia
Coordenadas 51°13' N, 04°23' E
Área 204,51 km²
Demografia
População
– Homens
– Mulheres
Densidade
464.038 (01/07/2006)
49,09%
50,91%
2.269,02 hab./km2
Faixa Etária
0–19 anos
20–64 anos
65 anos ou mais
(01/01/2006)
22,32%
58,47%
19,21%
Estrangeiros 12,41% (01/07/2005)
Economia
Desemprego 16,72% (01/01/2006)
Renda per capita 12.712 euros/hab. (2004)
Política
Prefeito (burgomestre) Patrick Janssens (SP.A)
Coalizão/Partido Socialistische Partij Anders (sp.a),
CD&V, VLD
Vereadores (escabinos) 55
Código Postal
Código Postal deelgemeenten/entités (submunicípios)

2000, 2018, 2020,
2030, 2050, 2060
2040
2100
2140
2170
2180
2600
2610
2660
em Antuérpia chamados Distritos:

Antwerpen
Berendrecht-Zandvliet-Lillo
Deurne
Borgerhout
Merksem
Ekeren
Berchem
Wilrijk
Hoboken
Outras informações
Código telefônico 03
Código NIS 11002
Website www.antwerpen.be

Antuérpia (Antwerpen em neerlandês, Anvers em francês) é a segunda maior cidade da Bélgica e a maior da região de Flandres. A população total de Antuérpia é 507.007 (em 31 de dezembro de 2011),[1] tornando-se o maior município tanto de Flandres quanto da Bélgica, em termos populacionais. É conhecida como centro mundial de lapidação de diamantes e por seu porto, um dos maiores do mundo, localizado nas margens do rio Escalda. Sua área total é de 204,51 km², dando uma densidade populacional de 2.308 habitantes por km². A área metropolitana, incluindo a zona exterior suburbana, cobre uma área de 1,449 km² com um total de 1.190.769 habitantes em 1 de Janeiro de 2008. Os habitantes de Antuérpia são localmente apelidado Sinjoren, após o título honorífico espanhol señor. Refere-se aos nobres líderes espanhóis que governaram a cidade durante o século XVII.[2]

Antuérpia é também um município, localizado no distrito de Antuérpia, província de Antuérpia, região de Flandres.

O facto de ser considerado o centro mundial do diamante deve-se a que nessa cidade são negociados 80% dos diamantes brutos e 50% dos diamantes lapidados do mundo. De acordo com dados divulgados pelo Alto Conselho para o Diamante (HRD) em 2004, foram exportados mais de 8 mil milhões de dólares norte-americanos. Ainda de acordo com o HRD, o sector do diamante em Antuérpia movimentou nesse ano 34 mil milhões de dólares, e representou perto de 7% das exportações da Bélgica.

História[editar | editar código-fonte]

Origem do nome[editar | editar código-fonte]

De acordo com o folclore, e como celebrada pelo estátua em frente à prefeitura, a cidade tem o nome de uma lenda envolvendo um mítico gigante chamado Antigoon que morava perto do rio Escalda. Ele cobrou um preço daquele que atravessasem o rio, e para aqueles que se recusou, ele cortou uma de suas mãos e atirou-a ao rio Escalda. Eventualmente, o gigante foi morto por um jovem herói chamado Brabo, que cortou a própria mão do gigante e atirou-o no rio. Daí o nome Antwerpen, do holandês hand é mão e wearpan (= arremessar), que mudou para hoje urdidura.[3]

Idade Média[editar | editar código-fonte]

No decorrer do século XV, o seu porto adquiriu grande relevância no comércio internacional, com a pioneira fundação de primitiva "bolsa" na cidade, que rapidamente transformou Antuérpia num dos mais bem sucedidos centros comerciais e produtores do Velho Continente. Fortes tempestades e tsunamis na costa da Flandres ocorridas em 1375-76 e em 1406 acabaram por criar um porto de abrigo profundo permitindo a chegada de grandes navios. Os primeiros capitalistas de Antuérpia foram estrangeiros, muitos deles italianos que tinham fugido à violência em Bruges - ameaçada por tentativas de anexação pela França. Duas bolsas funcionavam na cidade, a de mercadorias e a de instrumentos financeiros, como as letras de câmbio, hipotecas e certificados de aforro, uma experiência que herdara e melhorara de Bruges. Era uma cidade cosmopolita, uma comuna livre ao final da Idade Média, uma cidade de igrejas e de congregações religiosas católicas, fortemente apoiadas pela população rica.[4]

Quando os portugueses abriram a rota marítima para a Índia, Antuérpia se tornou um centro de comércio ainda mais proeminente, porque o rei de Portugal para lá enviava quase tudo que chegava a Lisboa, vindo da Ásia; as corporações da cidade compravam carregamentos inteiros que daí seguiam para o resto do mundo ofuscando o brilho comercial de Veneza. Transferiram dessa forma a feitoria que na Idade Média mantinham em Bruges. Este facto revelou-se da maior importância para a cidade. Com os portugueses, instalou-se igualmente forte colónia mercantil espanhola, passando os negócios das coroas ibéricas a fazer-se maioritariamente por aqui. Assim, ao longo do século XVI, Antuérpia tornou-se um centro da "economia do mundo". O volume de negócios financeiros era de tal monta que em 1519 a sucursal alemã a empresa Fugger emprestou mais de meio milhão de florins de ouro a Carlos V para patrocinar sua campanha a Imperador do Sacro Império Romano Germânico.

A prosperidade desta cidade prosseguiu ao longo desse século, atraindo assim inúmeros judeus, expulsos de Portugal, - na sequência da implementação de política antissemita desencadeada pelo governo português, - que buscavam nessa cidade livre grandes oportunidades de enriquecimento. Essa comunidade de exímios mercadores e artesãos enriqueceu o negócio da indústria dos diamantes e, consequentemente, a própria cidade, que passou a contar com a colaboração de artífices especializados no trato comercial.

Para além de ser um centro económico, Antuérpia era igualmente centro cultural e intelectual. Por exemplo, ali nasceu em 1599 o pintor flamengo Anthony van Dyck. No entanto, a sua pujança foi irremediavelmente abalada por problemas religiosos depois de 1567, data em que tropas espanholas saquearam a cidade. Antuérpia foi de novo atacada em 1584, sendo, dessa feita, forçada a render-se aos espanhóis em 1585.

No século XVII, mais precisamente em 1648, foi mais uma vez lesada na sequência da Guerra dos Trinta Anos. Em questão estava o Tratado de Paz de Vestfália, que determinou o encerramento do rio Escalda à navegação, o qual foi reaberto somente em 1795 pelos franceses.

Monumentos[editar | editar código-fonte]

Praça Grande em Antuérpia

São muito característicos desta cidade os bulevares que vieram substituir as muralhas que circundavam Antuérpia. O interior do seu núcleo histórico guarda a Catedral de Notre Dame, igreja gótica dos séculos XIV e XV, que constitui o maior templo da Bélgica, com a sua flecha de quase 122 metros. Das obras de arte mais significativas desse templo, destacam-se várias pinturas de Petrus Paulus Rubens, artista que viveu a maior parte da sua vida nessa cidade.

Outros edifícios dignos de destaque são a Igreja de São Paulo - que contém obras de Caravaggio e de Van Dyck - e a Câmara(Prefeitura), ambos terminados no século XVI. As construções medievais estão ainda presentes no lugar do mercado público. Destacam-se também os Jardins Botânico e Zoológico e o Museu de Belas Artes, onde se encontram expostas algumas das obras-primas dos mestres flamengos, reconhecidos pela sua excelência na representação de pormenores pictóricos, como sejam as jóias e os tecidos, que têm uma incrível semelhança com os objectos reais, para além da qualidade da cor exibida nos seus quadros.

Esporte[editar | editar código-fonte]

Antuérpia realizou os Jogos Olímpicos de Verão de 1920, que foram os primeiros jogos após a Primeira Guerra Mundial e também os únicos a serem realizados na Bélgica. Os eventos de ciclismo de estrada tomaram parte nas ruas da cidade.[5] [6] [7]

Pessoas famosas de Antuérpia[editar | editar código-fonte]

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

As seguintes cidades são cidades-irmãs de Antuérpia:

Parcerias[editar | editar código-fonte]

No contexto da cooperação para o desenvolvimento, Antuérpia é também ligada às cidades de:

Referências

  1. Publications (em francês) Statistics Belgium. Página visitada em 04 de novembro de 2012.
  2. Geert Cole; Leanne Logan, Belgium & Luxembourg p.218 Lonely Planet Publishing (2007) ISBN 1-74104-237-2
  3. Brabo Antwerpen 1 (centrum) / Antwerpen (em neerlandês)
  4. STARK, Rodney. A Vitória da Razão. p. 187
  5. Weed, Mike. Olympic Tourism (em inglês). ilustrada ed. Abingdon, Oxon: Routledge, 2008. ISBN 0750681616
  6. Cycling at the 1920 Antwerpen Summer Games: Men's Road Race, Individual (em inglês) Sports-Reference. Página visitada em 22 de setembro de 2014.
  7. Cycling at the 1920 Antwerpen Summer Games: Men's Road Race, Team (em inglês) Sports-Reference. Página visitada em 22 de setembro de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Antuérpia