Malásia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde abril de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Malaysia
Federação da Malásia
Bandeira da Malásia
Brasão das armas
Bandeira Brasão de armas
Lema: "Bersekutu Bertambah Mutu"
"A unidade é a força"
Hino nacional: Negaraku
"Meu país"
Gentílico: malaio; malásio

Localização  Malásia

Localização da Malásia no mundo.
Capital Kuala Lumpur
Cidade mais populosa Kuala Lumpur
Língua oficial Malaio e inglês
Governo Monarquia eletiva constitucional
Democracia parlamentarista
 - Rei (Yang di-Pertuan Agong) Abdul Halim
 - Primeiro-ministro Najib Tun Razak
 - Vice-primeiro-ministro Muhyiddin Yassin
Independência do Reino Unido 
 - Federação Malaia 31 de agosto de 1957[1]  
 - Federação (com Sabá, Sarawak e Singapuraa ) 16 de setembro de 1963[2]  
 - Expulsão de Singapura 9 de Agosto de 1965 
Área  
 - Total 329.847 km² (66.º)
 - Água (%) 0,3
População  
 - Estimativa de fevereiro de 2008 27.730.000[3] hab. (43.º)
 - Censo 2000 24.821.286 hab. 
 - Densidade 83 hab./km² (110.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2007
 - Total US$ 357,9 bilhões (29.º)
 - Per capita US$ 14.400 (57.º)
IDH (2012) 0,769 (64.º) – elevado[4]
Gini (2002) 46,1
Moeda Ringgit (MYR)
Fuso horário MST (UTC+8)
 - Verão (DST) (UTC+8)
Cód. ISO MYS
Cód. Internet .my
Cód. telef. +60
Website governamental www.malaysia.gov.my

Mapa  Malásia

a  Singapura se tornou um país independente em 9 de agosto de 1965.[5]

A Malásia (em inglês: e malaio: Malaysia) é um país do Sudeste Asiático que compreende dois territórios distintos: a parte sul da península Malaia e ilhas adjacentes, e uma seção do norte da ilha de Bornéu. A península da Malásia confina a norte com a Tailândia, a leste com o mar da China Meridional, e a sul e a oeste com o estreito de Malaca, fazendo fronteiras marítimas com a Indonésia, a leste, sul e oeste, e com Singapura a sul. A Malásia Insular limita a oeste e a norte com o mar da China Meridional, a norte com o Brunei, a leste com o mar de Sulu e a sul com a Indonésia, fazendo fronteira marítima com as Filipinas a norte e a leste. A capital do país é Kuala Lumpur.

História[editar | editar código-fonte]

Malaca foi uma colônia de Portugal a partir de 1511. Depois foi conquistada pela Holanda em 1641. Malaca foi tomada pelo Reino Unido em 1795. A Malásia desde 1824 foi uma colônia do Reino Unido, e, entre 1942 e 1945, durante a Segunda Guerra Mundial, foi ocupada pelo Japão. Em 1948 os britânicos formaram a Federação Malaia, que conseguiu a sua independência em 1957. A Malásia foi formada em 1963 quando as colônias britânicas de Sabah, Sarawak e Singapura entraram para a federação. Os primeiros anos do país foram marcados por esforços da Indonésia controlar a Malásia, reivindicações de Sabah pelas Filipinas e pela secessão de Singapura da federação em 1965. Nove dos 13 estados da Malásia têm um sultão ou um chefe de Estado hereditário; os restantes quatro têm governadores nomeados pelo rei. Em 1969 os conflitos raciais entre chineses e malaios levaram a tumultos e os partidos malaios perderam votos nas eleições que se seguiram. Continuam a existir restrições às liberdades individuais como a proibição de discussão em público. Apesar das consideráveis diferenças étnicas, a Malásia tem progredido com a criação da unidade nacional.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Campos de chá na Malásia.

A Malásia é um país localizado no sudeste asiático e é dividido basicamente em 2 grandes porções de terra, separadas pelo Mar do Sul da China. Uma é continental, limitada, ao norte, pela Tailândia e a sul por Singapura e a outra é insular, basicamente na ilha de Bornéu, tendo fronteiras com a Indonésia a leste e sul e com Brunei a norte.

O clima da Malásia é quente e úmido e caracterizado, como muitos países do sudeste asiático, por monções, ventos tropicais que se alternam durante as estações do ano.

O relevo malaio é formado de planícies e regiões montanhosas. Dois dos picos mais altos do sudeste asiático estão localizados na Malásia. Magníficas cavernas e cachoeiras podem ser encontradas nas suas montanhas. A rede hidrográfica não é muito densa, não possuindo, assim, nenhum rio de grande importância.

Aproximadamente 4/5 da vegetação do país é caracterizado por florestas tropicais. A Malásia apresenta um dos ecossistemas mais complexos e ricos do mundo: são 15,000 espécies de plantas e árvores, 600 espécies da pássaros e 210 espécies de mamíferos. O governo investiu uma grande quantia para impedir a devastação das florestas do país.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Kuala Lumpur, capital e maior cidade do país.

A Malásia é uma sociedade multicultural, com malaios, chineses e indianos a compartilhar o país. Os malaios são a maior comunidade, atingindo 60% da população. Falam malaio (Bahasa Melayu) e são em grande parte responsáveis pela orientação política do país. Os chineses formam cerca de um quarto da população. Falam os dialetos hokkien/fukien, cantonês, hakka e teochew e têm uma história de domínio dos negócios do país. Os indianos formam cerca de 10% da população. São na maioria tamiles e telagus hindus do sul da Índia, falando tamil, telugu, malayalam e algum hindi, e vivem principalmente nas grandes cidades da costa ocidental da península. Também existe uma comunidade sikh de razoável tamanho. O resto da população é composta por eurasiáticos, cambojanos, vietnamitas e tribos indígenas. A maioria dos eurasiáticos é cristã. Os eurasiáticos, de ascendência mestiça, portuguesa e malaia, falam um crioulo de base portuguesa chamado Papia Kristang. Outros eurasiáticos, de ascendência mestiça, malaia e espanhola, descendentes de emigrantes vindos das Filipinas, que vivem principalmente em Sabah, falam o único crioulo de base castelhana asiático, o Chavacano. Os cambojanos e os vietnamitas são principalmente budistas (os cambojanos da escola Theravada e os vietnamitas da escola Mahayana). O malaio é a língua oficial do país, mas o inglês é muito falado.

A maior tribo indígena em número são os Iban de Sarawak, cujo número sobe a mais de 600 000. Os Iban que ainda vivem em aldeias tradicionais na selva vivem em casas longas ao longo dos rios Rajang e Lupar e dos seus afluentes. Os Bidayuh (170 000) estão concentrados na parte sudoeste de Sarawak. A maior tribo indígena de Sabah é a dos Kadazan. São principalmente agricultores de subsistência cristãos. Os Orang Asli (140 000), ou povos aborígenes, incluem várias comunidades étnicas diferentes que vivem na Malásia Peninsular. Tradicionalmente caçadores-recoletores e agricultores nómadas, muitos foram sedentarizados e parcialmente absorvidos pela Malásia moderna. Apesar disso, continuam a ser o grupo mais pobre do país.

O Islã é a maior religião da Malásia, com 60.4% dos malaios praticando o islã. Esta também é a religião oficial do estado. Todos os malaios na Malásia são reconhecidos oficialmente como muçulmanos (a constituição da Malásia força todos os malaios a deixarem de ser oficialmente reconhecidos como malaios caso eles se convertam a outra religião). Apesar do Islã ser a religião oficial do estado, a constituição garante liberdade religiosa.

Outras religiões na Malásia incluem: budismo (19.2%, praticado principalmente por chineses), cristianismo (9.1%), hinduísmo (6.3%) e confucionismo, taoísmo ou outras religiões chinesas (2.6%). O restante pratica outras religiões ou nenhuma religião.



Subdivisões[editar | editar código-fonte]

A Malásia é um território federal dividido em treze estados e três territórios federais, separados em duas regiões distintas, a Malásia Peninsular e a Malásia Oriental, ao norte da ilha de Bornéu.

Singapura já fora um estado da Malásia, de sua fundação, em 16 de setembro de 1963 até 9 de agosto de 1965, data da separação destas, fazendo com que Singapura se tornasse um país.

Economia[editar | editar código-fonte]

Petronas Towers em Kuala Lumpur. O rápido crescimento econômico da Malásia é ilustrado pelas Petronas Towers, sede da Petronas, gigante petrolífera nacional.

É o maior produtor mundial de borracha, óleo de palma e estanho. Toda esta produção resultou da união da Malásia Ocidental (agora peninsular) com a Malásia Oriental (Saba e Sarawak, na ilha de Bornéu).

O sucesso econômico desde a sua independência deve-se ao desenvolvimento dos seus recursos naturais. Grande parte do interior era inacessível e ocupado por agricultores que praticavam uma agricultura itinerante através de queimadas. Saba e Sarawak exportam madeira. As terras para cultivo representam 14,9% do total do solo. No setor indústrial, merecem referência as produções de cimento, aparelhos eletrónicos e pneus. Os principais parceiros comerciais da Malásia são: Japão, Estados Unidos, Singapura e Alemanha.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. O Reino Unido Database Lei Estatuto: Federação da Lei de Independência Malásia 1957 (c. 60)
  2. Tratado das Nações Unidas Nr.10760: Acordo relativo à Malásia (pdf). Tratado Coleção das Nações Unidas. Nações Unidas (julho 1963). Página visitada em 2010-07-29.
  3. Population (5-9-2008). Department of Statistics Malaysia (5 de setembro de 2008). Página visitada em 2008-09-20.
  4. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD): Relatório de Desenvolvimento Humano 2013 – Ascensão do Sul: progresso humano num mundo diversificado (14 de março de 2013). Página visitada em 15 de março de 2013.
  5. Nações Unidas, os Estados-Membros

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Malásia


Flag map of Malaysia.svg Malásia
História • Política • Subdivisões • Geografia • Economia • Demografia • Cultura • Turismo • Portal • Imagens