Reino de Hanôver

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Königreich Hannover
Reino de Hanôver

Reino
em união pessoal com o
Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda
de 1814 até 1837

Flag of Hanover (1692).svg
1814 – 1866 Flag of Prussia 1892-1918.svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão
Localização de Hannover
Continente Europa
Região Europa Central
País Alemanha
Capital Hanôver
Governo Monarquia Constitucional
Rei
 • 1814-1820 Jorge III
 • 1820-1830 Jorge IV
 • 1830-1837 Guilherme
 • 1837-1851 Ernesto Augusto I
 • 1851-1866 Jorge V
História
 • 12 de outubro de 1814 Elevação a reino
 • 1814 Congresso de Viena
 • 23 de Agosto de 1866 Guerra Austro-prussiana

O Reino de Hanôver (alemão: Königreich Hannover), que tomou o nome da cidade homônima para sua denominação nacional, foi criado em outubro de 1814 pelo Congresso de Viena, com a restauração do território de Hanôver ao rei Jorge III após a Era Napoleônica. Ele sucedeu o antigo eleitorado de Brunsvique-Luneburgo, e se juntou aos 38 estados da Confederação Germânica. O reino foi governado pela Casa de Hanôver, em união pessoal com o Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda até 1837, antes de ser conquistada pelo Reino da Prússia em 1866. Brevemente reavidado como Estado de Hanôver (1946), o estado posteriormente se fundiu com alguns estados menores e formou a atual Baixa Saxônia.

História[editar | editar código-fonte]

O Principado de Calemberg, uma divisão do Ducado de Brunsvique-Luneburgo, foi criado em 1432 como uma entidade soberana. A divisão dos territórios entre os filhos do soberano, característica do feudalismo, foi uma prática habitual no Sacro Império Romano-Germânico, como exemplo paradigmático há a Saxônia.

De 1584-1632, Calemberg foi parte do Ducado de Brunsvique-Wolfenbüttel e posteriormente adquiriu uma nova independência sob a denominação de Ducado de Hanôver. No fim de 1692, o território de Hanôver adquiriu a status de Eleitorado.

O Eleitorado de Hanôver tinha o privilégio de escolher o governante do Sacro Império Romano-Germânico junto com a Prússia, Boêmia, Palatinado, Saxônia, Arcebispado de Mogúncia, Arcebispado de Tréveris e Colônia.

Com o falecimento da rainha Ana da Grã-Bretanha em 1714, o Eleitor de Hanôver tornou-se rei da Grã-Bretanha com o nome de Jorge I. Deste momento em diante, até 1837, os interesses da Grã-Bretanha e de Hanôver caminharam para a união dinástica, se bem que o Parlamento de Westminster se assegurou de que nenhum exército britânico fosse utilizado para defender os interesses do Eleitorado.

Ao longo do século XVIII, a influência da Casa de Hanôver cresceu na Alemanha. Em 1705, recebeu o Principado de Lunemburgo e em 1719 os territórios de Bremem e Verdem. Finalmente, em 1803, com a secularização dos domínios eclesiásticos do Sacro Império, recebeu o Principado Episcopal de Osnabruque.

Em 1803, o eleitorado foi ocupado pelo Império Francês que, em 1807, o incorporou ao Reino da Vestfália. O exército de Hanôver foi dissolvido, entretanto muitos soldados emigraram para o Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda, donde se criou uma divisão hanoveriana no Exército Britânico (em inglês: British Army). Em 1813, o eleitorado foi restaurado e em 1814 as potências europeias concordaram, no Congresso de Viena que ele fosse elevado à condição de reino. Além disso, Hanôver aumentou consideravelmente seu território adquirindo o Bispado de Hildesheim, Frísia Oriental, a parte setentrional do Bispado de Münster e parte do Condado de Lingen.

Árvore genealógica dos reis da Grã-Bretanha e Irlanda da Casa de Hanôver (em azul), e sua relação com a Casa de Stuart (em verde). Todos os reis varões desta dinastia foram eleitores ou (desde 1814) reis de Hanôver. Porém com a morte de Guillerme IV este reino passou a um ramo colateral (em rosa) devido à vigência da lei sálica.

Em 1837, com a ascensão ao trono britânico da rainha Vitória, e com a manutenção da lei sálica no Reino de Hanôver, houve pela primeira vez em mais de cem anos monarcas diferentes nestes territórios. No Reino de Hanôver, o monarca seguinte foi Ernesto Augusto I, Duque de Brunsvique-Luneburgo, que era tio da rainha britânica.

A vitória prussiana na guerra contra a Áustria, em 1866, significou a anexação ao Reino da Prússia, pelo Tratado de Praga (23/08/1866), pelo fato de ter se aliado com a Áustria durante o conflito. Assim o rei Jorge V de Hanôver teve que se exilar no Império Austríaco. Outros territórios tiveram a mesma sorte de Hanôver, como o Landergraviato de Hesse-Kassel, o Ducado de Nassau e a Cidade Livre de Frankfurt.

De 1866-1918, Hanôver foi uma província prussiana e em 1946 foi incorporado à Baixa Saxônia com a cidade de Hanôver como capital.

Brasões[editar | editar código-fonte]

Brasão de armas do Eleitorado de Hanôver
Estandarte do Monarca
Brasão de armas reais do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda (1714-1801) junto do Eleitorado de Hanôver.
Brasão da união pessoal do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda e do Reino de Hanôver (1816-1837)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Reino de Hanôver