Biblioteca Nacional da França

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bibliothèque nationale de France
(Biblioteca Nacional da França)
País  França
Estabelecida 1461 (1461) (Real Biblioteca)
1792 (1792)[1]
Localização Paris
Acervo
Items collected 30 mil items (Livros e publicações 14 mil)[2]
Outras informações
Orçamento €254 milhões[2]
Diretor Bruno Racine
Empregados 2,700
Website Página oficial (em inglês)

A Biblioteca Nacional de França (Bibliothèque nationale de France; BnF, IPA: [bi.bli.jɔ.tɛk na.sjɔ.nal də fʁɑ̃s]) é a Biblioteca nacional da França, localizada em Paris. Destina-se a ser o repositório de tudo o que é publicado na França. O presidente atual da biblioteca é Bruno Racine.

História[editar | editar código-fonte]

Sala de Leitura, local Richelieu.

A Biblioteca Nacional da França, traça a sua origem até a biblioteca real fundada no Palácio do Louvre por Carlos V, em 1368. Carlos recebeu uma coleção de manuscritos de seu antecessor, João II, e transferiu-os para o Louvre a partir do Palais de la Cité. O primeiro bibliotecário de registro foi Claude Mallet, manobrista do rei de chambre, que fez uma espécie de catálogo, Inventoire des Livres du Roy nostre Seigneur estans au Chastel du Louvre. Jean Blanchet fez outra lista em 1380 e Jean de Bégue uma em 1411 e outra em 1424. Carlos V foi um patrono da educação e incentivou a elaboração e coleção de livros. Sabe-se que ele empregou Nicholas Oresme, Raoul de Presle e outros para transcrever textos antigos. Com a morte de Carlos VI, a primeira coleção foi unilateralmente comprada pelo regente Inglês da França, o Duque de Bedford, que transferiu-se para a Inglaterra em 1424. Foram aparentemente dispersos em sua morte, em 1435.[3]

Antes de alcançar o êxito como arquitecto com a concepção da Biblioteca Nacional (1862-1868), Labrouste tinha já projectado a biblioteca de Sainte-Geneviève (1843-1850), cujo interior é sustentado por colunas e abóbadas de ferro fundido. Foi a primeira vez que este arquitecto usou uma armação de ferro num edifício público.

Na Biblioteca Nacional o arquitecto fez um uso extensivo do ferro que sustenta uma estrutura de alvenaria. O espaço mais notável é a sala de leitura, povoada por finas colunas com os seus capitéis coríntios e cúpulas com clarabóias envidraçadas que, elevando-se a mais de nove metros do solo, são o meio difusor de luminosidade no interior da sala. Tal como a sala de leitura, a sala de reservas é outra realização notável ao nível da cobertura, concebida inteiramente com vidro, provocando a penetração da luz difundida depois pelas clarabóias do pavimento. O ferro aliado ao vidro concede a estes espaços um efeito notável.

Neste edifício, Labrouste revela duas vertentes da sua arquitectura. Se por um lado alcança um grande modernismo, por outro lado está presente um gosto convencional. Para além de ser considerado o iniciador da escola racionalista em França, foi também uma referência para a geração de arquitectos modernos posteriores.

Gallica, nome da biblioteca digital para utilizadores online, foi criada em 1997. Em Agosto de 2009 põe à disposição no seu site: 120 000 documentos de texto, 1 000 documentos de áudio e 110 000 imagens.

Serviços oferecidos[editar | editar código-fonte]

A Biblioteca Nacional da França oferece um aplicativo para tablets Gallica iPad e Android. Este aplicativo pode ser baixado gratuitamente na App Store e Google Play, fornece acesso a quase 2 milhões de documentos, principalmente a partir das coleções da BnF .. O aplicativo permite que você procure dentro de todos digitalizados pela BNF. Cada documento pode ser baixado na íntegra ou em parte: o usuário pode facilmente construir e enriquecer a sua própria biblioteca.

Os serviços oferecidos pela Biblioteca Digital Gallica são:

Aplicações Gallica [1]

O aplicativo permite que você procure dentro de todos digitalizados pela BNF. Cada documento pode ser baixado na íntegra ou em parte: o usuário pode facilmente construir e enriquecer a sua própria biblioteca. Fiel à vocação enciclopédica aplicação BnF Gallica fornece acesso a um corpus rico e variado: mais de 240 mil livros, 880 mil panfletos imprensa e revistas, 470 mil imagens, mas também mapas, manuscritos, partituras disponíveis para a escolha do usuário. A cada semana, milhares de novos documentos são publicados e disponíveis em Gallica nesta aplicação.

A biblioteca Gallica disponibiliza documentos em epub, leia os documentos no hiperlink: Epub [2]

Existe também dentro dos serviços oferecidos o fale conosco.

Canal RSS:

Você pode encontrar todas as listas de resultados pode se inscrever em notícias de correspondentes para a consulta que você lancée. A Busca por resultados de tópicos em uma lista de resultados que contenham todos os documentos registrados no âmbito deste tema. Você vai encontrar, como em todas as listas de resultados a oportunidade de assinar o feed RSS.

Missão[editar | editar código-fonte]

A Biblioteca Nacional da França é uma instituição pública, sob a supervisão do Ministério da Cultura. Sua missão é constituir coleções, especialmente as cópias de trabalhos publicados na França, que deve, por lei, ser depositados lá, a sua conservação, e disponibilizá-los ao público. Ela produz um catálogo de referência, coopera com outros estabelecimentos nacionais e internacionais, e participa de programas de investigação.

Política de conservação[editar | editar código-fonte]

A política de conservação da BNF pode ser consultada através de uma Carta de Conservação disponibilizada em Charte de Conservation. Esta carta define a orientação estratégica e os objetivos da política de conservação da BNF. Ele ajuda a desenvolver as condições organizacionais e materiais ciência, técnica, aplicação, condições que mudam de acordo com o estado da investigação e da legislação. Ele é baseado em um programa hierárquico de ações de conservação e apresenta o estado das coleções, a sua utilização e os seus valores.

Departamento de Manuscritos (iluminuras)[editar | editar código-fonte]

   * Saint Augustin, Cité de Dieu
   * Benoît de Sainte-Maure, Roman de Troie
   * Boccace, Des cas des nobles hommes et femmes
   * Boccace, Des claires et nobles femmes
   * Chronique universelle
   * Dialogue d'un chevalier et de Chrétienté
   * Eneas
   * Flavius Josèphe, Antiquités judaïques
   * Flavius Josèphe, Guerre des Juifs
   * Grandes Chroniques de France
   * Guyart des Moulins, Bible historiale
   * Guillaume Fillastre, Toison d'Or
   * Histoire ancienne jusqu'à César
   * Histoire de Merlin
   * Histoire du saint Graal
   * Jean de Wavrin, Chroniques d'Angleterre
   * Jean Mansel, Fleur des Histoires
   * Lancelot du Lac
   * Leonardo Bruni, Guerre punique
   * Mort le roi Artu
   * Ovide, Métamorphoses
   * Pierre Choque, Réception d'Anne de Foix
   * Queste del saint Graal
   * Quinte-Curce, Histoire d'Alexandre le Grand
   * Raoul Lefèvre, Histoires de Troyes
   * Roman de Thèbes
   * Romans de la Table Ronde
   * Tite-Live, Histoire romaine
   * Tristan de Léonois
   * Trois fils de rois
   * Valère Maxime, Faits et dits mémorables

Manuscritos Orientais[editar | editar código-fonte]

   * Ahmedî, Iskender-nâma
   * Kâtib Tchelebî, Djihân-Nüma
   * Mîr Haydar, Mirâdj-nâma
   * Tcherkes Aghâ Yûsuf Pâshâ, Safarnâme
   * Zubdet el-Tevarikh

Departamento de Mapas e Plantas[editar | editar código-fonte]

Mapas, planos elaborados à mão livre ou litografadas,feitas pelo o maior cartógrafo Gerardus Mercator e tambem Jodocus Hondius, Wilhem Blaeuw, N. Ferro, Sanson d'Abbeville, etc.

Departamento de Ciência e Tecnologia[editar | editar código-fonte]

Sob a colaboração de matemáticos, Há uma parceiria de digitalização entre a Biblioteca Nacional da França e do MathDoc célula [11] pólo, o portal Gallica-Math foi estabelecida. Uma multa de indexação de documentos, dá fácil acesso a alguns dos fundos matemática Gallica [12]: (Abel, Beltrami, Carnot, Cauchy, D'Alembert, Dirichlet, Euler, Fourier Jacobi, Klein, Lagrange, Laguerre Laplace, Möbius, Riemann), Jornal de Matemática Pura e Aplicada [13] criadas por Liouville em 1836 e ainda está vivo. Além disso, a digitalização do Índice Bibliográfico de Ciências Matemáticas é complementado por uma base de dados [14] para pesquisas avançadas, navegação múltipla no diretório e acesso a um número de originais digitalizados. LINUM catálogo [15] integra livros de matemática Gallica ao lado de outras bibliotecas estrangeiras (Cornell, Göttingen, Michigan). Todos estes documentos estão incluídos no mini-dml [16], por exemplo OAI serviço de grande valor para pesquisadores matemáticos.

Parceiros[editar | editar código-fonte]

As intituições parceiras da Biblioteca Digital Gallica


Referências

  1. Jack A. Clarke. "French Libraries in Transition, 1789-95." The Library Quarterly, Vol. 37, No. 4 (Outubro de 1967)
  2. a b La BnF en chiffres (em francês).
  3. Paul M. Priebe. "From Bibliothèque du Roi to Bibliothèque Nationale: The Creation of a State Library, 1789- 1793." The Journal of Library History (1974-1987), Vol. 17, Nº. 4 (Fall, 1982)

Veja também[editar | editar código-fonte]

  • Bibliothèque nationale (France), Département de la Phonothèque nationale et de l'Audiovisuel. The National [Sound] Record[ings] and Audiovisual Department of the National Library [of France]. [Paris]: Bibliothèque nationale, [1986]. 9 p.
  • In: David H. Stam. International Dictionary of Library Histories. [S.l.]: Fitzroy Dearborn, 2001. ISBN 1579582443.
  • Riding, Alan. "France Detects a Cultural Threat in Google," New York Times. 11 de abril de 2005.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Biblioteca Nacional da França