Reino do Laos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
ພຣະຣາຊອານາຈັກລາວ
Phra Ratxa A-na-chak Lao
Royaume du Laos

Reino de Laos
Flag of French Laos.svg
 
Blank.png
1949[1]  – 1975[1] Flag of Laos.svg

Bandeira de Laos

Bandeira

Hino nacional
Pheng Xat Lao
Localização de Laos
Continente Ásia
Região Sudeste da Ásia
País Laos
Capital Vientiane e Luang Phabang (Palácio Real)
17° 58' N 102° 36' E
Governo monarquia constitucional
Presidente
 • 1949-1959.[1] Sisavang Vong.[1]
 • 1959-1975.[1] Savang Vatthana.[1]
Governador
 • 1958-1975.[1] Souvanna Phouma (por diversas vezes)[1]
História
 • 19 de Julho de 1949[1] Autonomia
 • 9 de Novembro de 1953 de {{{ano_evento1}}} Independência[1]
 • 23 de Agosto de 1975 de {{{ano_evento2}}} Tomada de poder dos comunistas[1]
 • 2 de Dezembro[1] de 1949[1] estabelecimento da RDP do Laos
O Palácio Real em Luang Prabang

O Reino de Laos foi um Estado soberano que existiu a partir de 1953 até dezembro de 1975, quando o Pathet Lao derrubou o governo e criou a República Democrática Popular do Laos.[2]

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945,[3] sob a liderança do rei Sisavang Vong, o Laos proclamou o fim do protetorado francês. No entanto, a França apenas em 1949 aceitou alterarar o estatuto do país:[4] primeiro como estado associado da República Francesa e finalmente com o Tratado Franco-Lao em 1953 estabeleceu-se um Laos soberano e independente, mas não estipulou quem iria governar o país. Nos anos que se seguiram, três grupos disputaram o poder: o neutralista sob Príncipe Souvanna Phouma, o partido de direita sob o príncipe Boun Oum de Champassak:[4] e o de esquerda, apoiado pelo Vietnã do Norte, a Frente Patriótica (atualmente chamado de Pathet Lao) sob Príncipe Souphanouvong[4] e o futuro Primeiro-Ministro Kaysone Phomvihane .

Governo[editar | editar código-fonte]

Após o Tratado Franco-Lao de 1953, que deu a independência do Laos, o Governo Real do Laos assumiu o controle do país.[1] Esse tratado estabeleceu uma monarquia constitucional, com Sisavang Vong como Rei e o Príncipe Souvanna Phouma como primeiro-ministro, e com Luang Prabang como a capital real.[4]

Muitas tentativas foram feitas para estabelecer um governos de coalizão: um Governo de Unidade Nacional foi criado em 1958 sob o príncipe Souvanna Phouma,[1] este fez um acordo com seu irmão, o príncipe Souphanouvong, dando aos comunistas dois assentos no Conselho de Ministros, e aceitando integrar 1500 dos soldados comunistas no exército real. Ao seu meio-irmão foi dado o cargo de Ministro da Reconstrução, Planejamento e Urbanização, enquanto outro membro do Partido Comunista foi nomeado Ministro da Religião e Belas Artes.

Queda do governo[editar | editar código-fonte]

Em 1960, em meio a uma série de rebeliões, uma luta irrompeu entre o Exército Real do Laos e o Pathet Lao.[1] Um segundo governo provisório de unidade nacional formado pelo príncipe Souvanna Phouma em 1962 provou ser bem-sucedido por algum tempo, até que a situação deteriorou-se depois que o conflito no Laos se tornou um foco para a rivalidade entre as superpotências com o inicio da Guerra Fria.[1]

Alarmado com o crescente poder e influência do Vietcong,[5] [6] e temendo a propagação do comunismo, os Estados Unidos começaram a fornecer ajuda para o Laos em 1953, o processo acrescentou a corrupção generalizada dentro do governo do Laos.[7] O envolvimento americano aumentou ainda mais no início dos anos 1960, quando, em resposta a uma tentativa comunista apoiado pelos soviéticos para assumir o governo do Laos,[5] os EUA iniciaram uma guerra secreta dentro do país. Isto envolveu um forte apoio militar, incluindo a formação e o equipamento das forças do General Vang Pao na província de Xieng Khouang por Forças Especiais dos EUA, e o transporte de homens e equipamentos para o Laos a partir da Tailândia pela linha aérea comercial da CIA, Air America.[8] [9]

Um cessar-fogo foi finalmente conseguido em fevereiro de 1973,[1] seguindo a Acordos de Paz de Paris entre os Estados Unidos e Vietnã do Norte. Em abril de 1974, outro Governo Provincial de Unidade Nacional foi criado, mais uma vez com o príncipe Souvanna Phouma como primeiro-ministro. No entanto, as forças do Pathet Lao controlavam grandes áreas do país, e com a queda de Saigon[5] em abril de 1975 eles avançaram para controlar a capital.[1]

Em 2 de dezembro de 1975 é proclamada a República e instalado o governo comunista do Pathet Lao[1] apoiado pelo Vietnã e pela União Soviética destronando o governo do rei Savang Vatthana, apoiado pela França e pelos Estados Unidos. A Republica Popular Democrática do Laos foi estabelecida com o príncipe Souphannavong como presidente.[1] Kaysone Phomvihane atuou como primeiro-ministro e secretário-geral do Partido Popular Revolucionário do Laos.[1]

Consequências[editar | editar código-fonte]

Muitos dos cidadãos e membros do antigo governo foram levados para campos de reeducação em áreas remotas do Laos após Dezembro de 1975.[1]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Kingdom of Laos».