Reino do Chipre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Fevereiro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
' Royaume de Chypre'
Βασίλειο της Κύπρου

Reino de Chipre

Reino independente

Labarum.svg
1198 – 1489 Flag of Most Serene Republic of Venice.svg

Brasão de Chipre

Brasão

Localização de Chipre
O Próximo Oriente em 1190, com os estados cruzados em tons de verde. Em cor violeta, à esquerda, a ilha de Chipre, ainda sob domínio bizantino.
Continente Ásia
País Atual Chipre
Capital Nicósia
Língua oficial francês e grego
Religião Igreja Ortodoxa, Cristianismo ocidental
Governo Monarquia
Rei
 • 1191 - 1192 Ricardo I
 • 1474 - 1489 Catarina Cornaro
História
 • 1198 Fundação
 • 1489 Dissolução

O Reino do Chipre foi um estado cruzado, um reino cristão formado por cruzados na Ilha de Chipre e que, oficialmente, se manteve desde a baixa à tardia Idade Média.

Em 1191, durante a Terceira Cruzada à Terra Santa, o rei Ricardo I Coração de Leão de Inglaterra conquistou a ilha a Isaac Comneno, um governador e conquistador local auto-proclamado imperador, em consequência da captura de náufragos do exército de Ricardo. Este vendeu a ilha aos Cavaleiros Templários que, por sua vez, em 1192 a venderam ao rei consorte de Jerusalém Guy de Lusignan. Imediatamente foi criada uma monarquia feudal que se prolongou até à Idade Média.

O seu irmão e sucessor, Amalrico I de Chipre, recebeu o título e a coroa real de Henrique VI da Germânia do Sacro Império Romano Germânico. A pequena população de católicos da ilha confinou-se às regiões costeiras, como Famagusta, e também ao interior, onde formaram Nicósia, a tradicional capital.

Importante base para os cruzados, o reino dos Lusignan serviu de base de ataque para as diversas Cruzadas que se aventuravam na Palestina. Algum tempo depois, os mercadores de Gênova e de Veneza passaram a controlar o comércio da ilha até ao século XV.

Em 1489, Catarina Cornaro foi forçada a vender a ilha à República de Veneza. A ilha permaneceu parte da República Veneziana até 1571, quando caiu em mãos do Império Turco-Otomano, que restaurou o arcebispado ortodoxo, mas levaram o país a uma situação de decadência econômica e demográfica.

Reis de Chipre[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Estado extinto, integrado ao Projeto Estados Extintos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.