Bornéu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bornéu
Borneo Topography.png
Mapa topográfico da ilha.
Geografia física
País  Brunei
Indonésia
 Malásia
Localização Sudeste Asiático
Arquipélago Arquipélago Malaio
Ponto culminante Monte Kinabalu, 4101 m
Área 743 294  km²
Geografia humana
População 16 350 549
Densidade 22 hab./km²
Gunung Kongkemul Borneo.png
Imagem de satélite de Bornéu.

Bornéu é uma grande ilha localizada na Ásia. A ilha é dividida em três partes. A maior parte (a parte meridional) pertence à Indonésia. A segunda maior (a parte setentrional) pertence à Malásia e a menor parte (encravada na parte da Malásia) pertence ao Brunei. Os indonésios chamam a ilha de Kalimantan.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A origem do nome Bornéu estará diretamente ligada à de Brunei. De facto, quando os portugueses chegaram à região no século XVI, batizaram a ilha em referência ao principal sultanato (então chamado Burne ou Burni) que encontraram e com o qual negociaram

As origens do nome Brunei são desconhecidas, parecendo que provém do sânscrito varunai (वरुण) que significa «povo do mar», termo que no século XIV seria Barunai[1] .

História[editar | editar código-fonte]

Bornéu foi descoberta para o mundo europeu pelos navegantes Juan Sebastián Elcano e Fernão de Magalhães, que chegaram às suas costas em 1521. A história de Bornéu está intimamente relacionado com a história das Filipinas. Quando o arquipélago das Filipinas foi conquistado pelo explorador espanhol Miguel López de Legazpi, uma frota do sultão de Bornéu ajudou os príncipes de Manila, uma vez que um desses príncipes era natural de Bornéu. E em 1577, quando um pretendente ao trono de Bornéu chamado Sirela solicitou o apoio da Espanha, o governador espanhol das Filipinas, Sande, partiu de Manila com uma frota de 30 navios e 2200 homens. Proclamado Sirela como novo rei, o novo monarca prestou tributo à Espanha. Mas então o rei destronado procurou refúgio nas ilhas Molucas, solicitando o apoio dos portugueses, que também aspiravam também à posse de Bornéu, e organizaram uma frota que sob o comando de Hector Brita bateu Sirela. Este fugiu para Manila e voltou a pedir o apoio da Espanha, que enviou o Capitão Gabriel de River com um pequeno exército que derrotou os ocupantes e Sirela foi reposto no governo.

Em 1761 a Inglaterra celebrou um tratado com Jolo, pelo qual a Companhia Britânica das Índias Orientais adquiria o litoral norte de Bornéu, desde o rio Kunanis até à baía de Melledu. Em 1771 esta mesma companhia ocupou com 400 homens a ilha de Balambamgan, mas tal causou a fúria dos nativos, que foram depois todos assassinados. O soberano javanês Bantam cedeu aos holandeses em 1778 uns territórios na costa oriental de Bornéu cujo domínio tinha por herança. Esta cedência teve grande importância no futuro, já que foi considerada como fundamento jurídico da soberania que a Holanda exerceu em grande parte da ilha, e que ainda hoje se observa na divisão entre vários estados.

Monte Kinabalu, na Malásia, o ponto mais alto da ilha.

Nos finais do século XVIII e princípios do século XIX os piratas joloanos tornaram impossível o comércio na zona. Com o objetivo de reduzir os piratas, partiu de Manila uma esquadra espanhola que em 1851 bombardeou e tomou a capital de Jolo. Através da assinatura de um tratado este território e todas as suas dependências passaram a fazer parte dos domínios da Espanha no arquipélago de Jolo; e para desvanecer toda e qualquer dúvida em relação a Bornéu, o sultão Mahamad-Diamarol Alam declarou em 1862 que o grupo das ilhas de Jolo e Tawi-Tawi pertencia aos espanhóis por direitos de conquista e anexação. O Tratado de Licup, assinado em 22 de julho de 1878, também reconhecia o domínio eminente de Espanha sobre o arquipélago e as suas dependências. Mas as negociações diplomáticas iniciadas nesse mesmo ano por causa do estabelecimento da British North Borneo Company no norte da ilha, acabariam por ter como resultado o protocolo de 7 de maio de 1885, subscrito por representantes da Espanha, Inglaterra e Alemanha; declarava que em troca do reconhecimento da soberania espanhola em Jolo, o governo deste país devia renunciar a favor de Inglaterra, a qualquer pretensão de soberania sobre os territórios do continente de Bornéu e das ilhas vizinhas de Balambamgan, Banguey e Manali, bem como a todos os territórios compreendidos numa zona de três léguas marítimas ao largo da costa, que fizeram parte dos territórios administrativos da British Company até 1905.[2]

Maiores cidades[editar | editar código-fonte]

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dictionnaire des noms de lieux – Louis Deroy e Marianne Mulon ([Le Robert, 1994) ISBN 285036195X
  2. José Saínz Ramírez: "Imperios Coloniales", Imprensa Nacional, 1942, Madrid.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre geografia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.