Lovaina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde abril de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros, acadêmico)Yahoo!Bing.
Flag of Belgium (civil).svg  Lovaina
Leuven.jpg
Praça Grande e prefeitura (câmara) da cidade
LeuvenLocatie.png
localização do município, no distrito e na província
Brasão Bandeira
Stadswapen Leuven.gif Flag of Leuven.svg
Geografia
Região Flandres
Província Brabante Flamengo
Distrito Leuven
Coordenadas 50°52' N, 04°42' E
Área 56,63 km²
Demografia
População
– Homens
– Mulheres
Densidade
90.854 (01/07/2006)
49,43%
50,57%
1.604,34 hab./km2
Faixa Etária
0–19 anos
20–64 anos
65 anos ou mais
(01/01/2006)
19,59%
63,45%
16,95%
Estrangeiros 9,43% (01/07/2005)
Economia
Desemprego 8,67% (01/01/2006)
Renda per capita 15.862 euros/hab. (2004)
Política
Prefeito (burgomestre) Louis Tobback (sp.a)
Coalizão/Partido Socialistische Partij Anders (sp.a),
CD&V, spirit, N-VA
Vereadores (escabinos) 45
Código Postal
Código Postal deelgemeenten/entités (submunicípios)
3000
3001
3010
3012
3018
Leuven
Heverlee
Kessel-Lo
Wilsele
Wijgmaal
Outras informações
Código telefônico 016
Código NIS 24062
Website www.leuven.be

Lovaina[1] ou, mais raramente, Lovânia[1] (em neerlandês Leuven, em francês Louvain) é uma cidade e um município da Bélgica localizado no distrito que leva o seu mesmo nome, parte província de Brabante Flamengo, região da Flandres.[2] Lovaina é a capital da província do Brabante Flamengo, e a língua de seus habitantes é majoritariamente o holandês, embora quase sempre o francês, também seja conhecido. Está localizada a cerca de 30 km a leste da capital Bruxelas.[2]

A exemplo de Coimbra, em Portugal, ou de Leiden, na Holanda, Lovaina é uma cidade universitária. A população é de aproximadamente 91.700 mil habitantes (2008), 30% dos quais são alunos ou professores de sua universidade. A vida em Lovaina gira em torno dessa instituição de ensino, que atrai gente de todo o país e do mundo para lá, sempre renovando o aspecto da cidade. Muitos de seus atuais moradores são ex-alunos que lá decidiram ficar ou voltar depois de terem concluído os seus estudos.

História[editar | editar código-fonte]

Há referências a Louvain desde 891, quando o exército viking foi derrotado por Arnulfo, Rei da Germânia.[2] De acordo com a lenda local, as cores da bandeira de Lovaina, vermelho-branco-vermelho, representam o cenário sanguinolento em que as margens do rio Dijle ficaram.

Do século XI ao século XV Lovaina foi o centro comercial do Ducado de Brabante em que se integrava. Exemplo da riqueza da cidade e dos seus comerciantes foi a construção da câmara da cidade em estilo Gótico.[2] Embora esta tenha sido construída depois das câmaras de Antuérpia e Bruxelas, os ricos habitantes de Lovaina fizeram questão de demonstrar o seu poder económico construindo aquela que é uma das mais belas câmaras da Bélgica. No século XV, mais precisamente 1425, início da época dourada, foi fundada a Universidade Católica de Lovaina, a mais antiga dos países baixos e uma das mais antigas da Europa.[2]

Nessa mesma universidade estudou e leccionou Damião de Góis por volta de 1540.[2] Ele envolveu-se pessoalmente na luta pela defesa da cidade contra as tropas de Carlos I de Espanha aquando da sua invasão da Flandres e acabou capturado.

No século XVIII a indústria cervejeira floresceu, e ainda hoje a InBev, uma das maiores cervejeiras do mundo que detém entre outras a Stella Artois e a Brahma tem aí localizada a sua sede.

No século XX a cidade foi fortemente danificada em ambas as Guerras Mundiais.

Biblioteca da K.U.L. na Ladeuzeplein

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Lovaina é geminada com:

Parcerias[editar | editar código-fonte]

Além destas cidades-irmãs, Leuven tem parcerias com:

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Bélgica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências

  1. a b Fernandes, Ivo Xavier. Topónimos e Gentílicos. Porto: Editora Educação Nacional, Lda., 1941. vol. I.
  2. a b c d e f Population per municipality on 1 January 2012.