Arnulfo da Caríntia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arnulfo I
Sacro Imperador Romano-Germânico
Die deutschen Kaiser Arnulph.jpg
Arnulfo da Caríntia
Governo
Vida
Nascimento 850
Morte 8 de dezembro de 899 (49 anos)

Arnulfo da Caríntia (8508 de dezembro de 899) foi rei francês e imperador Romano-Germânico.

História[editar | editar código-fonte]

Sucedeu ao tio, imperador Carlos III quando foi desapossado do império. Carlomano I, seu pai (828-29) de setembro de 880 em Öttingen, era doente crônico. Rei da Baviera em 865, rei dos Francos do Leste 876-880, Rei da Itália 887-880. Tinha, em 850, casado com Litwinde ou Leusinde, filha do conde Ernesto e depois com uma desconhecida de Nordgau.

Território de Arnulfo em 888.

Arnulfo morreu em 899, estando sepultado em Ratisbona. Foi rei da Germânia ou dos Francos do Leste [887-899], rei da Itália 894-896 e imperador do Sacro Império Romano-Germânico [896-899]. Era ainda duque ou marquês da Caríntia (876-887), dignidade confirmada, quando morreu seu pai em 880, pelo novo rei do Leste e dos francos Luís III. Em 882, prestou homenagem ao imperador Carlos III.

Passou os anos seguintes em constante guerra contra eslavos e homens do norte. Identificado ao desgosto dos bávaros e outros povos, dada a incapacidade do tio Carlos III o Gordo, reuniu um grande exército [887], marchou para Tribur. Carlos abdicou, Arnulfo foi reconhecido rei pelos germanos [887-96]. Foi a primeira ação independente do mundo secular germânico.

Assumindo no verdadeiro golpe de Estado que depôs o tio, era o rei mais forte do Ocidente, pois na parte oriental a herança de Carlos Magno era ainda mais compacta do que no Oeste: havia uma larga rede de abadias, bispados que lhe forneciam recursos materiais e apoio ideológico: os mosteiros de Lobbes, Echternachm Corvey, Reichenau, Fulda ou Prum, as metrópoles de Colônia, Treveres, Mayence, Magdeburgo, as sés de Metz, Liège, Worms, Paderborn. Em sua época surgiram numerosos reizetes: Berengário de Friul, filho de Everardo, proclamou-se na Itália; o marquês Rodolfo I, filho de Conrado II, Conde de Auxerre governava a Alta Borgonha; Guido II, filho de Lamberto I , na Gália Bélgica; Eudes, filho de Roberto, o Forte usurpou a monarquia no norte do Loire e Arnulfo se proclamou rei.

Arnulfo permitiu a instalação de Rodolfo na Borgonha, impondo-lhe certos limites; abandonou a Itália à rivalidade mortal entre Guido e Berengário; dois anos depois não impediu a coroação [fim 890] em Valence de Luís III, filho de Boson, como rei da Provença – o protegido de Carlos o Gordo, sobrinho do poderoso Ricardo de Autun. E, depois de se entrevistar com Eudes em Worms, em 24 de junho de 890, permitiria sua nova função como rei da França, sendo coroado de novo em 13 de novembro de 890 em Reims, desta vez com coroa, manto e cetro enviados por Arnulfo.

Sua autoridade porem não se estendia além da Baviera e se contentou com reconhecimento nominal da supremacia pelos reis que surgiram em vários lugares do Império. Em 891, continuou a lutar contra os homens do norte, ou vikings, vencendo-os em Lovaína; prestou assistência efetiva a Zvatorpluk, Rei da Morávia, na luta contra os aristocratas. Convidado pelo Papa Formoso a libertá-lo de Guido III de Espoleto, quando já estava coroado imperador, partiu para a Itália em 894, sitiou Bérgamo, recebeu homenagem de nobres em Pávia. Mas as deserções em seu exercito obrigaram-no a retornar.

Nos três anos seguintes conseguiu estabelecer um filho seu, bastardo, como rei do distrito mais tarde conhecido como Lorena.

A restauração da paz com os morávios e a morte de Guido prepararam seu retorno exitoso a Itália em 895-6. Chegou a Roma em fevereiro de 896 para combater Agiltrude e seu filho Lamberto II de Espoleto. Foi coroado pelo Papa Formoso em 22 de fevereiro de 896 e seria o último imperador carolíngio.

Partiu para Espoleto para ali estabelecer sua autoridade mas no caminho ficou paralitico como seu pai, e retornou à Baviera, onde morreu.

Casara com Oda ou Ota da Baviera. Deixou três filhos.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Jozko Šavli, Karantanija- Editorial Humar, Nova Gorica, 2007.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • carantha.net - Carantha - History of Slovenia - Carantania.
Precedido por
Carlos III
Rei da França
887899
Sucedido por
Luis IV
Precedido por
Carlos III
Rei da Lotaríngia
887895
Sucedido por
Zuentiboldo
Precedido por
Lamberto II
Império Ocidental
898899
Sucedido por
Luis III o Cego