Francisco José I da Áustria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Francisco José I
Wappen Kaisertum Österreich 1867 (Mittel).png
Imperador da Áustria-Hungria
Franz Joseph of Austria 1910 old.jpg
Francisco José em 1910.
Governo
Reinado 2 de dezembro de 1848 - 21 de novembro de 1916
Consorte Isabel da Áustria
Antecessor Fernando I
Sucessor Carlos I
Casa Real Habsburgo
Títulos Rei da Croácia
Rei da Galícia e Lodomeria
Rei da Boemia
Grão-Duque de Cracóvia
Vida
Nascimento 18 de agosto de 1830
Viena, Flag of the Habsburg Monarchy.svg Império Austríaco
Morte 21 de novembro de 1916 (86 anos)
Viena, Flag of Austria-Hungary (1869-1918).svg Império Austro-Húngaro
Sepultamento Igreja Nossa Senhora dos Anjos, Flag of Wien.svg Viena
Filhos Sofia Frederica da Áustria
Gisela da Áustria
Rodolfo de Habsburgo
Maria Valéria da Áustria
Pai Francisco Carlos da Áustria
Mãe Sofia da Baviera

Francisco José I (em alemão: Franz Joseph I; Palácio de Schönbrunn, Viena, 18 de agosto de 1830 — Palácio de Schönbrunn, Viena, 21 de novembro de 1916) foi imperador da Áustria (1848-1916), rei da Hungria (1867-1916) e último governante influente da dinastia dos Habsburgo. Restabeleceu a ordem no império e restaurou o domínio da Áustria na Confederação Germânica (1849-1850). Seu reinado, que durou 68 anos, é o terceiro mais longo da história europeia, depois de Luís XIV da França e de Johann II de Liechtenstein. Seu lema era Viribus Unitis (União de Forças).

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Francisco José nasceu nos arredores de Viena em 18 de agosto de 1830. Filho primogênito do arquiduque Francisco Carlos, segundo filho do imperador Francisco I, foi educado como herdeiro do trono do império austríaco, na qualidade de sucessor de seu tio, Fernando I.

Imperador da Áustria[editar | editar código-fonte]

Início do reinado[editar | editar código-fonte]

Imperador Francisco José, por Miklós Barabás(1853), no Museu Nacional da Hungria, Budapeste

Subiu ao trono imperial da Áustria aos dezoito anos, em 1848, durante os movimentos revolucionários do Reino da Hungria e da unificação italiana, após a abdicação de seu tio Fernando I e da renúncia de seu pai. Adoptou um estilo de vida austero, apesar do luxo do palácio Schönbrunn, embora mantivesse na corte um ambiente fausto de uma etiqueta estrita e de grandiosas cerimônias. Não possuindo a envergadura de um homem de Estado, demonstrou parcialidade na sua governação do império.

Até 1852, seu reinado sofreu influência do príncipe Karl Philipp de Schwarzenberg, que defendia uma política absolutista e centralizadora.

Com o apoio do exército, estabeleceu na primeira década do reinado um regime autoritário, que terminou em 1859 com a derrota da Áustria frente aos exércitos da França e do Reino de Sardenha, ao qual a Áustria teve de ceder o território da Lombardia, pelo acordo de paz de Villafranca. Francisco José teve de adoptar, então, uma política liberal.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Em 24 de abril de 1854, casou-se com sua prima, a duquesa Isabel da Baviera (conhecida na família por "Sissi"), filha da sua tia Ludovika e do duque Maximiliano da Baviera. Sissi, por quem Francisco José foi apaixonado, apesar das constantes desavenças, e que exerceu profunda influência sobre ele, deu-lhe três filhas e um varão.

Imperador Austro-húngaro[editar | editar código-fonte]

Anexação da Hungria[editar | editar código-fonte]

Busto do imperador Francisco José.

Em 1849, restabeleceu a dominação austríaca na Lombardia e na Hungria, beneficiando-se do apoio da Rússia. Tentou reorganizar o seu império sob o sistema do federalismo. As reivindicações nacionais de algumas regiões do império obrigaram-no a estabelecer novas instituições, menos opressoras. Apesar disso, em 1866, antes de conseguir seu intento de restaurar o prestígio internacional da Áustria, deflagrou contra a Prússia a Guerra dos Ducados (1863-1865). A derrota em Sadowa, em 1866, eliminou definitivamente os Habsburgos da política alemã.

A rebeldia dos húngaros obrigou Francisco José, no ano seguinte, a abandonar a orientação absolutista e reaproximar-se dos húngaros, fazendo concessões substanciais à Hungria, e reconhecendo o regime dualista , no qual a Hungria era reconhecida como Estado em pé de igualdade com a Áustria, unidos sob o mesmo monarca. Em 1867, foi coroado rei da Hungria, em Budapeste. Os eslavos, entretanto, não aceitaram a dupla submissão, a austríacos e húngaros. A dependência da Áustria-Hungria com relação ao Império Alemão foi aumentando gradualmente e selou-se com a assinatura, em 1879, da dúplice aliança com o Império Alemão, à qual se juntou o Reino de Itália em 1882, criando-se assim a Tríplice Aliança, entidade política de grande importância até a Primeira Guerra Mundial. Em 1908, anexou a Bósnia e a Herzegovina.

O enfraquecimento do império[editar | editar código-fonte]

A divisão étnica do império austríaco teve como consequência a reivindicação de independência dos checos, croatas, húngaros, sérvios e muitas outras nacionalidades. Após breve retorno à política opressiva, o imperador teve de instaurar o voto universal para a eleição do Reichsrat (Parlamento).

Tragédias familiares[editar | editar código-fonte]

O esforço de manter unido o império reflecte-se nos acontecimentos familiares:

  • Em 1889, o suicídio, em circunstâncias mal conhecidas, do seu único filho, o arquiduque Rudolfo de Habsburgo, herdeiro do trono da Áustria-Hungria;

Primeira Guerra Mundial e término do reinado[editar | editar código-fonte]

A influência do imperador era tanta que em 1903 teve participação decisiva na eleição do Papa Pio X[1] , após vetar o nome do cardeal siciliano Mariano Rampolla del Tindaro.

Governara praticamente por decretos até que, em 28 de junho de 1914, o arquiduque Francisco Fernando foi morto num atentado em Sarajevo. Persuadido por um de seus ministros, Francisco José I consentiu em enviar um ultimato à Sérvia. Foi declarada guerra à Sérvia (1914), o que desencadeou a Primeira Grande Guerra. O império austro-húngaro desmembrou-se e Francisco José I morreu, em 21 de novembro de 1916, dois anos antes de o seu império entrar em derrocada total, no castelo de Schönbrunn, onde nascera. O seu sucessor foi jovem imperador Carlos I, neto do seu irmão Carlos Luís.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Francisco José I da Áustria


Precedido por
Fernando I
Imperador da Áustria
1848 - 1916
Wappen Kaisertum Österreich 1867 (Mittel).png
Sucedido por
Carlos I
Precedido por
Fernando V
Rei da Hungria
1848 - 1916
Wappen Ungarische Länder 1867 (Mittel).png
Sucedido por
Carlos I
Precedido por
Fernando I
Rei da Boémia
1848 - 1916
Wappen Königreich Böhmen.png
Sucedido por
Carlos I