Conacri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Conacri
—  Cidade  —
Vista de Conacri
Vista de Conacri
Conacri está localizado em: Guiné
Conacri
Localização de Conacri no Guiné
09° 30' 33" N 13° 42' 44" O
País Guiné
Região Conakry
Fundação 1897
Distritos Distritos
Administração
 - Prefeito Sékou "Resko" Camara
Área
 - Total 100 km²
População (Censo 2009)
 - Total 2 160 000
    • Densidade 21 600/km2 
Fuso horário UTC (UTC+2)


Conacri (francês: Conakry, maninca: Kɔnakiri) é a capital e a maior cidade da República da Guiné. Originalmente situada na ilha de Tombo, uma das Ilhas de Los, cresceu até à vizinha península de Kaloum. Localiza-se no sudoeste do país e é um porto no Oceano Atlântico. Em 2002, a população era estimada entre cerca de 2 milhões de pessoas e quase um quarto da população da Guiné.

História[editar | editar código-fonte]

De acordo com a lenda, o nome da cidade é derivado da fusão do nome "Cona", um produtor de vinho do povo Baga, e a palavra "nakiri", que significa em Sosso "outra margem ou lado".[1]

Mapa de ruas do centro de Conacri, 1981

Conacri foi estabelecida originalmente na pequena ilha de Tombo e posteriormente se expandiu para a vizinha península de Kaloum, um trecho de terra de 36 quilômetros de comprimento e largura que oscila entre 0,2 e 6 km. A cidade foi fundada, essencialmente, após os britânicos ter cedido a ilha para a França em 1887. Em 1885, as duas aldeias da ilha, Conacri e Boubinet, possuíam menos de 500 habitantes. Conacri tornou-se a capital da Guiné francesa em 1904 e prosperou como porto de exportação, principalmente após a inauguração de uma estrada de ferro para Kankan, atualmente fechada, possibilitar a exportação em grande escala de amendoim proveniente do interior.

Nas décadas após a independência, a população de Conacri explodiu, de 50 mil habitantes em 1958 para 600.000 em 1980 e para mais de dois milhões atualmente.[2] Sua pequena superfície e relativo isolamento do continente, situação favorável para seus fundadores coloniais, possibilitaram a criação de uma infraestrutura de peso desde a independência.[3]


Monument du 22 Novembre 1970 em homenagem às vítimas da invasão portuguesa de 1970

Em 1970, um conflito entre as forças portuguesas e o PAIGC na vizinha Guiné portuguesa (atualmente Guiné-Bissau) se espalhou para a República da Guiné quando um grupo de 350 soldados portugueses e guineenses dissidentes desembarcou perto Conacri, atacou a cidade e, antes de se retirar, libertou 26 prisioneiros de guerra portugueses mantidos pelo PAIGC, não conseguindo, no entanto, derrubar o governo nem matar o líder do PAIGC.[4]


Camp Boiro, um temido campo de concentração durante o governo de Ahmed Sékou Touré, estava localizado em Conacri.[5]

De acordo com grupos de direitos humanos, 157 pessoas morreram durante os protesto de 2009, quando a junta militar abriu fogo contra dezenas de milhares de manifestantes na cidade em 28 de setembro de 2009.[6]

Governo e administração[editar | editar código-fonte]

Conacri cresceu ao longo da península. O governo local subdividiu a cidade em cinco distritos, em 1991, cada um destes governado por um subprefeito. Estes cinco distritos são:[7]

Os cinco distritos da cidade compõem a Região de Conacri, que, por sua vez, é uma das oito regiões da Guiné, que são dirigidas por um governador. A cidade é designada como Zona Especial de Conacri. Com uma população de aproximadamente dois milhões de habitantes, a Região de Conacri é a mais populosa da Guiné, possuindo quase um quarto da população do país e tendo quase o dobro de população que a Região de Kankan, a segunda mais populosa da Guiné.

Economia[editar | editar código-fonte]

Conacri é a maior cidade da Guiné e é o seu centro administrativo, comunicativo e económico. A economia da cidade desenvolve-se à volta do porto, que tem acessos modernos para suportar e armazenar tanques de carga, através dos quais as bananas e o óxido de alumínio são transportados em barcos. As suas manufacturas incluem produtos alimentares e materiais para casa. Um guineense de classe média em Conacri recebe um salário mensal de cerca de 225 000 GNF (cerca de $45 dólares).

Referências

  1. Histoire de Conakry (em francês)
  2. Patrick Manning. Francophone Sub-Saharan Africa, 1880–1995, Cambridge (1998) (em inglês)
  3. Para infraestrutura urbana e sua história, veja M. Dian DIALLO. Street Addressing And Basic Services In Conakry, Guinea. Apresentado no Fórum Urbano/ World Bank – Washington, D.C. – 2 a 4 de abril de 2002. (em inglês)
  4. "Cloudy Days in Conakry", Time, 7 de dezembro de 1970. (em inglês)
  5. Gomez, Alsény René. La Guinée peut-elle être changée?. [S.l.]: Editions L'Harmattan, 2010.
  6. "Guinea massacre toll put at 157", BBC News, 29 de setembro de 2009. (em inglês)
  7. Conakry (la capitale) - em francês
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Guiné é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.