Togo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
République Togolaise
República Togolesa
Bandeira do Togo
Brasão  República do Togo
Bandeira Brasão de armas do Togo
Lema: "Travail, Liberté, Patrie"
("Trabalho, Liberdade, Pátria")
Hino nacional: "Terre de nos aïeux"
("Terra dos nossos antepassados")
Gentílico: togolês(a)[1]

Localização  República do Togo

Capital Lomé
6° 7' N 1° 13' E
Cidade mais populosa Lomé
Língua oficial Francês
Governo República
 - Presidente Faure Gnassingbé
 - Primeiro-ministro Kwesi Ahoomey-Zunu
Independência da França 
 - Data 27 de abril de 1960 
Área  
 - Total 56.785 km² (122.º)
 - Água (%) 4,2
 Fronteira Burkina Fasso (N), Benim (E), e Gana (W)
População  
 - Estimativa de 2008 5.858.673 hab. (106.º)
 - Densidade 100 hab./km² (75.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2007
 - Total US$ : 5,132 bilhões (154.º)
 - Per capita US$ : 806 (166.º)
IDH (2013) 0,473 (166.º) – baixo[2]
Moeda Franco CFA (XOF)
Fuso horário (UTC+0)
 - Verão (DST) não observado (UTC+0)
Clima Tropical
Org. internacionais ONU, UA, CEDEAO, ZPCAS, OCI Francofonia
Cód. ISO TGO
Cód. Internet .tg
Cód. telef. +228
Website governamental http://www.republicoftogo.com/

Mapa  República do Togo

O Togo, oficialmente República Togolesa, é um país africano, limitado a norte por Burkina Faso, a leste por Benim, a sul pelo Golfo da Guiné e a oeste por Gana. Capital: Lomé. Localizado no oeste da África, Togo é constituído por um estreito território que reúne povos de diferentes origens. O grupo étnico euê, o mais numeroso (45,4% da população), concentra-se no sul, perto do litoral, a região mais desenvolvida. A maioria dos habitantes vive da agricultura, cujos principais produtos são o algodão e a cana-de-açúcar. O país é importante centro de comércio regional graças ao porto de sua capital, Lomé.

História[editar | editar código-fonte]

Entre os séculos XIV e XVI, povos de língua ewe, provenientes da Nigéria, colonizaram o atual território do Togo. Outras tribos de língua ane (ou mina) emigraram de regiões hoje ocupadas por Gana e Costa do Marfim, depois do século XVII. Durante o século XVIII, os dinamarqueses praticaram na costa de Togo um lucrativo comércio de escravos. Até o século XIX, o país constituiu uma linha divisória entre os estados indígenas de Ashanti e Daomé.

Em 1847 chegaram alguns missionários alemães e, em 1884, vários chefes da região costeira aceitaram a proteção da Alemanha.[3] A administração alemã, ainda que eficiente, impôs trabalhos forçados aos nativos.

Os alemães foram desalojados durante a Primeira Guerra Mundial e, em 1922, a Liga das Nações dividiu o Togo entre o Reino Unido e a França.[4] Em 1946, esses dois países colocaram seus territórios sob a custódia das Nações Unidas. Em 1960 a porção britânica foi incorporada ao território da Costa do Ouro (atual Gana), enquanto os territórios franceses se transformaram na República Autônoma de Togo em 1956. O país conquistou a independência completa em 1960,[5] embora tenha continuado a manter estreitas relações econômicas com a França.

As relações do Togo com Gana foram difíceis enquanto Kwame Nkrumah presidiu o país vizinho, mas melhoraram após sua deposição. Durante a década de 1960, assassínios políticos e golpes de estado culminaram em 1967 com a ascensão do general Étienne Gnassingbe Eyadema ao poder. Uma nova constituição foi adotada em 1979 e Eyadema proclamou a terceira república togolesa. Em 1982, o fechamento de fronteiras decretado por Gana para conter o contrabando resultou em conflitos entre os dois países. Em 1985, o regime de Eyadema começou a se liberalizar. O general convocou em 1991 uma Conferência Nacional que suspendeu a constituição e elegeu Joseph Koffigoh, um civil, para o cargo de primeiro-ministro.

Em 2006 concordam em formar um governo de transição o governo e a oposição.[6]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Religião: 70% crenças indígenas; 20% cristã; 10% muçulmana.

Índice de pobreza: 40,1% (1996)

Taxa de alfabetização: 46,9% (2003)

Índice de Desenvolvimento Humano: (2007) 0,499 - baixo

PIB: 7000 milhões USD (1981)

PIB por habitante: 1.350 USD (1981)

PNB por volume: 6,2 mil milhões USD

PNB por habitante: 330 USD

Taxa de inflação: 7,2% (1997)

Taxa de desemprego: n.d.

Dívida externa: 1339 milhões USD (1997)

Moeda: franco CFA

Câmbio: 1 F CFA = 0,01

Natureza do Estado: República em transição para o multipartidarismo

Regime Político: presidencial

Demografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com o censo de 2010, divulgado em novembro do referido ano, Togo tem uma população de 6 191 155 habitantes, mais que o dobro do total contabilizado no último censo, em 1981, onde o país registrou uma população de 2 719 567 habitantes. A capital e maior cidade, Lomé, cresceu de {fmtn|375499|habitantes}} em 1981 para 837 437 habitantes em 2010. A aglomeração urbana em torno de Lomé possuía 1 477 660 habitantes no mesmo ano.[7]

Outras grandes cidades em Togo, de acordo com o novo censo, são Sokodé (95 070 habitantes), Kara (94 878 habitantes), Kpalimé (75 084 habitantes), Atakpamé (69 261 habitantes) e Dapaong e Tsévié, com 58 071 e 54 474 habitantes, respectivamente. O Togo é o 107º país mais populoso do mundo, sendo que a maioria da população (65%) vivem em aldeias rurais dedicadas à agricultura ou pastagens. A população de Togo mostra um forte crescimento: Entre 1961 (um ano após a independência) e 2003, quintuplicou.[7]

Cidades mais populosas[editar | editar código-fonte]

Política[editar | editar código-fonte]

Pela constituição aprovada por referendo em 1992, o Togo tornou-se república multipartidarista, com um presidente como chefe de estado e um primeiro-ministro como chefe de governo. O poder legislativo é exercido pela Assembléia Nacional.

A forma de governo de Togo é a República Presidencialista.

Com a morte de Gnassingbe Eyadema a 5 de Fevereiro de 2005 foi imediatamente seguida pela suspensão da Constituição pelo Exército e pela nomeação do filho do falecido presidente. Este antigo coronel tinha aplicado um golpe de estado em 1967 e banido todos os partidos políticos. Em 1991, ele voltou a legalizá-los e, à frente do seu partido, o “Rally do Povo Togolês” (RPT), ganhou as eleições, que foram contestadas pela comunidade internacional.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

O Togo está dividido em 5 regiões administrativas e a comuna de Lomé, as regiões são:

Regiões do Togo
Código ISO Região Área (km²) Capital
TG-M Maritime 6.395 Lomé
TG-P Plateaux 16.974 Atakpamé
TG-C Centrale 13.182 Sokodé
TG-K Kara 11.631 Kara
TG-S Savanes 8.603 Dapaong
Total 56.785
Regiões do Togo.

O Togo se subdivide, ainda, em prefeituras (préfectures, em francês) e são as seguintes:

Economia[editar | editar código-fonte]

Lomé, capital do país.

As atividades estão fundamentadas na agricultura de subsistência e de exportação, destacando-se a mandioca, milho, algodão e frutas, como produtos de subsistência, e café, cacau, algodão cru, cocos e frutos tropicais, como produtos exportáveis.

Importam-se da França, Reino Unido e Benelux produtos têxteis, tabaco, maquinarias.

Entre os produtos da industria extrativa mineral destaca-se o fosfato, com ricas reservas exploradas por investidores franceses. Entre as atividades industriais destaca-se a têxtil salientando-se como a primeira em produção em 1966.

A rede de comunicação é precária, com 742 km de rodovias de primeira classe, 560 km de segunda, 440 km de estradas de ferro e um aeroporto.

  • Agricultura: pluma de algodão (52 mil t), caroço de algodão (68 mil t), café (12,1 mil t), cacau (5 mil t), mandioca (570,9 mil t), milho (452 mil t) (1997)
  • Pecuária: bovinos (263,9 mil), ovinos (1,4 milhão), suínos (850 mil), caprinos (1,7 milhão), eqüinos (4,9 mil), aves (6,4 milhões) (1997)
  • Pesca: 17,1 mil t (1998)
  • Mineração: fosfato de cálcio (2,7 milhões de t) (1996), cádmio, calcário, mármore.
  • Indústria: alimentícia, materiais de construção (cimento), produtos minerais não metálicos (fosfato), siderúrgica (aço). *Exportações: US$ 240 milhões (1998).
  • Importações: US$ 380 milhões (1998).
  • Parceiros comerciais: Gana, China, Nigéria.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Portal da Língua Portuguesa, Dicionário de Gentílicos e Topónimos do Togo
  2. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD): Human Development Report 2014 (em inglês) (24 de julho de 2014). Visitado em 3 de agosto de 2014.
  3. Série de autores e consultores, Dorling Kindersley, History (título original), 2007, ISBN 978-989-550-607-1, pág 554 | referencia apenas última informação
  4. Série de autores e consultores, Dorling Kindersley, History (título original), 2007, ISBN 978-989-550-607-1, pág 554 | referencia apenas última informação
  5. Série de autores e consultores, Dorling Kindersley, History (título original), 2007, ISBN 978-989-550-607-1, pág 554 | não referencia os nomes antigos e completos e o que se passou em 1956
  6. Série de autores e consultores, Dorling Kindersley, History (título original), 2007, ISBN 978-989-550-607-1, pág 554
  7. a b Données de Recensement - Recensement 1961 1970 1981 (em francês) Direction Générale de la Statistique et de la Comptabilité Nationale. Visitado em 30 de agosto de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal do Togo

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Togo
Bandeira do Togo Togo
Bandeira • Brasão • Hino • Cultura • Demografia • Economia • Geografia • História • Portal • Política • Subdivisões • Imagens