Caravaggio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Caravaggio
Caravaggio, pintura de Ottavio Leoni.
Nome completo Michelangelo Merisi (da Caravaggio)
Nascimento 29 de Setembro de 1571
Lombardia, Itália
Morte 18 de julho de 1610 (38 anos)
Porto Ercole, comuna de Monte Argentario, Itália
Nacionalidade Italiano
Ocupação Pintor
Principais trabalhos A deposição de Cristo (1602)
Movimento estético Barroco

Michelangelo Merisi da Caravaggio (Milão, 29 de setembro de 1571Porto Ercole, comuna de Monte Argentario, 18 de julho de 1610) foi um pintor italiano atuante em Roma, Nápoles, Malta e Sicília, entre 1593 e 1610. É normalmente identificado como um artista barroco, estilo do qual foi o primeiro grande representante. Caravaggio era o nome da aldeia natal da sua família e foi escolhido como seu nome artístico.[1]

"Após vários anos de trabalho, Caravaggio andou de cidade em cidade servindo vários senhores importantes. É um trabalhador incansável, porém orgulhoso, teimoso e sempre disposto a participar em discussões e a envolver-se em brigas, o que torna difícil conviver com ele".-Floris Claes van Dijk. Passou a envolver-se em brigas, fazer ameaças e insultos em comércios, quebrando pratos em restaurantes e ferindo seus adversários com faca ou espada.[2]

Exceto em suas primeiras obras, Caravaggio pintou fundamentalmente temas religiosos. No entanto, foram várias as vezes em que as suas pinturas feriam as susceptibilidades dos seus clientes. Nos seus quadros, em vez de adoptar nas suas pinturas belas figuras etéreas, delicadas, para representar acontecimentos e personagens da Bíblia, preferia escolher por entre o povo, modelos humanos tais como prostitutas, crianças de ruas e mendigos, que posavam como personagens para as suas obras.

Caravaggio procurou a realidade palpável e concreta da representação. Utilizou como modelos figuras humanas, sem qualquer receio de representar a feiura, a deformidade em cenas provocadoras, características essas que distinguem as suas obras. Tudo isso chocou os seus contemporâneos, pela rudez das suas pinturas. Dos efeitos que Caravaggio dava aos quadros, originou-se o tenebrismo, em que os tons terrosos contrastam com os fortes pontos de luz.

Vida[editar | editar código-fonte]

Durante sua vida, Caravaggio era considerado enigmático, fascinante e perigoso. Nascido no Ducado de Milão, onde seu pai, Fermo Merisi, era administrador e arquiteto-decorador do marquês de Caravaggio. Tinha apenas seis anos quando a peste bubônica matou praticamente todos os homens de sua família, incluindo seu pai. Ele cresceu contencioso e agressivo.[2]

Michelangelo Merisi surgiu na cena artística romana em 1600 e, desde então, nunca lhe faltaram comissões ou patronos.

Porém ele lidou com seu sucesso de maneira atroz. Uma nota precocemente publicada sobre ele, em 1604, descrevia seu estilo de vida três anos antes: "após uma quinzena de trabalho, ele irá vagar por um mês ou dois com uma espada a seu lado e um servo o seguindo, de um salão de baile para outro, sempre pronto para se envolver em alguma luta ou discussão, de tal maneira que é bastante torpe acompanhá-lo." (Floris Claes van Dijk; Roma, 1601)

Considerado um farrista inconsequente, ele vivia com problemas com a polícia, sem dinheiro e buscava brigas nos pulgueiros da cidade. Em 1606, matou um jovem durante uma briga e foge de Roma, com a cabeça a prêmio. Passou por Nápoles, depois por Malta e pela Sicília, onde pintou telas de lirismo transfigurado, como: A ressurreição de Lázaro (Messina), na qual, sob o pavor de um imenso espaço vazio, um raio de luz rasante parece imobilizar o drama sagrado. Em Malta (1608) envolveu-se em outra briga, e mais outra em Nápoles (1609), possivelmente um atentado premeditado contra a sua vida devido suas ações, por inimigos nunca identificados.

Morte[editar | editar código-fonte]

Após uma carreira de pouco mais de uma década, Caravaggio morreu em circunstâncias desconhecidas, em julho de 1610, aos 38 anos. Seu corpo permaneceu em local desconhecido por séculos.[3]

Somente em 16 de junho de 2010, uma equipe de cientistas e universitários italianos do "Comitê Caravaggio" anunciou a identificação dos restos mortais do pintor, graças a análises de DNA e de carbono-14, no pequeno cemitério da frazione de Porte Ercole, na comuna de Monte Argentario, na Toscana. A probabilidade de certeza desta descoberta, divulgada pelos pesquisadores, é de 85%.[4]

Características da obra[editar | editar código-fonte]

Caravaggio tomava emprestada a imagem de pessoas comuns das ruas de Roma para retratar Maria e os apóstolos. A sua inspiração estava entre comerciantes, prostitutas, marinheiros, todo o tipo de pessoas que não eram de nobre estirpe e que tivessem grande expressão, como as suas obras retratam. Talvez tenha sido um dos primeiros artistas a saber conciliar a arte com o "ministério de Jesus", que teria acontecido entre pescadores, camponeses e prostitutas.[5]

O artista levou este princípio estético às últimas consequências, a ponto de ter sido acusado de usar o corpo de uma prostituta fisgada morta do rio Tibre para pintar A Morte da Virgem. Esta foi uma das duas mais importantes características das suas pinturas: retratar o aspecto mundano dos eventos bíblicos, usando o povo comum das ruas de Roma.

Em a "Flagelação de Cristo" [6] compôs uma coreografia com contrastes de claro-escuro, onde Cristo se apresentava num movimento de total abandono, conseguindo uma composição de beleza carismática. Já em "São João Batista" [7] , demonstra um jovem de olhar provocador -julgava-se que esse modelo era um dos seus amantes.[carece de fontes?]

Caravaggio flagellation.jpg Caravaggio Baptist Nelson-Atkins Museum of Art, Kansas City.jpg Death of the Virgin-Caravaggio (1606).jpg
Flagelação de Cristo, João Batista no deserto e A morte da Virgem
Coreografia com contrastes de claro-escuro

A outra característica marcante foi a dimensão e impacto realista que ele deu aos seus quadros, ao usar um fundo sempre raso, obscuro, muitas vezes totalmente negro, e agrupar a cena em primeiro plano com focos intenso de luz sobre os detalhes, geralmente os rostos. O uso de sombra e luz é marcante em seus quadros e atrai o observador para dentro da cena - como fica bem demonstrado em A ceia de Emaús [8] . Os efeitos de iluminação que Caravaggio criou receberam um nome específico: tenebrismo.

Na obra "David com a cabeça de Golias" [9] , uma cabeça decapitada, onde ele mesmo é o Golias, um sanguinário grotesco, um monstro. Na decapitação de João Batista, o mal era representado por outra pessoa. Aqui, é Caravaggio quem personifica a maldade. Na espada de David foi escrito Humilitas Occedit Superbiam ("A Humildade Conquista o Mundo"). Uma batalha que tem sido travada dentro da cabeça de Caravaggio, entre os dois lados opostos do pintor retratado nessa fascinante obra.

The Sacrifice of Isaac by Caravaggio.jpg David with the Head of Goliath-Caravaggio (1610).jpg Caravaggio - Cena in Emmaus.jpg
O sacrifício de Isaac, Davi com a cabeça de Golias e A ceia de Emaús
Uso da luz e sombras

No fim do Renascimento, os grandes mestres caminhavam para uma visão mais obscura e realista das escrituras sagradas, como se vê principalmente em A Conversão de São Paulo[10] e no Martírio de São Pedro - afrescos de Michelangelo Buonarroti, realizados na Cappella Paolina, no Palácio Vaticano. Caravaggio pintou versões próprias desses temas - A conversão de São Paulo, a caminho de Damasco [11] e Crucificação de São Pedro [12] - que ilustram bem como foi capaz de igualar, senão de superar seus mestres.

Caravaggio-The Conversion on the Way to Damascus.jpg Michelangelo Caravaggio 025.jpg Crucifixion of Saint Peter-Caravaggio (c.1600).jpg
Conversão de São Paulo, Descanso na fuga para o Egito e A crucificação de São Pedro
Visão mais obscura e realista das escrituras sagradas

Caravaggio reagiu às convenções do maneirismo e opôs a elas uma pintura natural, direta, e até mesmo brutal, que pela sua franqueza renovou a natureza morta (Cesta de frutas - 1596)[13] , e as cenas profanas (Baco, 1593-1594)[14] , bem como os temas religiosos (Descanso durante fuga para o Egito [15] , 1594-1596). Os contrastes de forma e luz sublinham formas maciças que, na maior parte de suas obras, emergem vigorosamente de um fundo negro escuro com pouca profundidade como em temas cotidianos, a exemplo de A Adivinha [16] .

Michelangelo Caravaggio 019.jpg Michelangelo Caravaggio 007.jpg The Fortune Teller-Caravaggio (Louvre).jpg
Cesta de frutas, Baco e A Adivinha
Natureza morta, temas profanos e temas quotidianos

Outras obras[editar | editar código-fonte]

Descobertas recentes[editar | editar código-fonte]

Em 10 de novembro de 2006, um quadro do pintor, integrante da coleção da rainha Elizabeth II de Inglaterra foi autenticado depois de seis anos de análise técnica. Até então, fora considerado uma cópia. [carece de fontes?]

Referências

  1. La Historia del Arte, Blume, ISBN:978-84-8076-765-1, pág 218
  2. a b Hilary Spurling (30/9/2011). The Criminal Genius of Caravaggio (em inglês). © 2011 The New York Times. Página visitada em 20/4/2014. "(...)Caravaggio was just 6 years old when bubonic plague killed virtually every man in his family, including his father. He grew up contentious, aggressive and touchy.(...)Caravaggio squabbling, fighting, trading threats and insults, smashing plates in restaurants and slashing opponents with knife or sword."
  3. Caravaggio Biography (em inglês). Artble © 2014. Página visitada em 20/4/2014. "Caravaggio died under unknown circumstances around the 18th of July, 1610, after only a decade-long career. His body was never recovered."
  4. Les restes du Caravage retrouvés et identifiés (em francês). Le Monde (16 de junho de 2010). Página visitada em 9 de julho de 2014.
  5. Gombrich, página 392-394.
  6. Museu de Belas Artes de Ruão
  7. Atkins Museum of Art, Kansas City
  8. National Gallery, Londres
  9. Galleria Borghese, Roma
  10. Capela Cerasi, Santa Maria del Popolo, Roma
  11. Capela Cerasi, Santa Maria del Popolo, Roma
  12. Santa Maria del Popolo, Roma)
  13. Pinacoteca Ambrosiana, Milão
  14. Uffizi,Florença
  15. Galeria Doria Pamphilj, Roma
  16. Museu do Louvre, Paris

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Caravaggio