Divisória de águas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Principais divisórias de águas na Europa (a vermelho) separando as bacias (regiões a cinzento).

Uma divisória de águas ou linha de separação de águas designa um limite geográfico que separa um território em diversas bacias hidrográficas. Mais precisamente, de cada lado desta linha, as águas escoam em direcções diferentes. É muito aproximada (mas nem sempre coincidente) com os tergos, pois falhas geológicas profundas e impermeáveis podem dirigir as águas para vales separados onde a chuva se acumula por separação de outras linhas de festo.

É frequente que uma linha divisória de águas seja usada como delimitação de fronteiras em zonas montanhosas, como por exemplo nos Alpes entre a França e a Itália, que é no entanto um caso com várias excepções.

Um conhecido exemplo é a Divisória Continental, na América do Norte.

Na América do Sul, um exemplo clássico de acordo de divisão fronteiriça desse tipo é a fronteira entre o Brasil e o Suriname, na qual não há nenhum compartilhamento de bacias hidrográficas entre os dois países, sendo a fronteira portanto totalmente seca — o Suriname não tem acesso aos rios da Bacia Amazônica, que correm para o sul, nem o Brasil aos rios das bacias do Corantyne e Maroni, que correm em direção ao litoral norte, parte do Atlântico que banha as Guianas.[1] [2]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]