Emília Ferreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Emília Ferreira (n. Lisboa, 1963) é uma escritora, historiadora, crítica de arte e tradutora portuguesa. Publicou romances, contos, crónicas, monografias, crítica e textos de investigação.

Começou a publicar em 1987.

Ficheiro:188980 1003004694348 688837 n.jpg
Emília Ferreira. Fotografia de Artur Costa

Formação académica[editar | editar código-fonte]

Licenciada em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Mestre em História da Arte pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, com uma dissertação subordinada ao tema "História dos Museus Públicos de Arte no Portugal de Oitocentos: 1833-1884".

Doutora em História da Arte (FCSH, UNL), com a tese "Lisboa em Festa: a Exposição Retrospectiva de Arte Ornamental Portuguesa e Espanhola, 1882, Antecedentes e Materialização".

Livros publicados (ficção)[editar | editar código-fonte]

  • Investigações sobre a Pintura (contos), Esfera do Caos, 2014 (Prémio de Poesia e Ficção de Almada — Ficção Narrativa, 2013).
  • Visões do Azul (contos), CreateSpace Independent Publishing Platform (7 May 2014).
  • Obsessões Exemplares (contos),CreateSpace Independent Publishing Platform; 1 edition (29 Dec 2013)

ISBN-10: 1492916110 ISBN-13: 978-1492916116

  • No princípio do mundo, uma tâmara (Câmara Municipal de Aveiro, 2001), Prémio Literário Vasco Branco, 2001 (romance)
  • O Espelho que Reflecte (Edições Colibri, 2002),Prémio de Poesia e Ficção de Almada, 1998 (romance)

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • "Prémio de Poesia e Ficção de Almada — Ficção Narrativa, 2013", contos.
  • Prémio Literário António Paulouro, 2009", com o original "Visões do Azul", contos.
  • "Prémio Vergílio Ferreira, 2008, com o original "Cartografia íntima", (romance).
  • "Prémio Literário Afonso Duarte 2007/2008", com o original "Mily Possoz, uma monografia".
  • "Prémio Literário Branquinho da Fonseca – Conto Fantástico", 2007, com o original "Os Barqueiros do Rio Cheio".
  • "Prémio Literário Vasco Branco", 2001, com o original "No princípio do mundo, uma tâmara" (romance).
  • "Prémio de Poesia e Ficção de Almada — Ficção Narrativa", 1998, com o original "O Espelho que Reflecte" (romance).
  • "Prémio Literário Almeida Firmino", de S. Roque do Pico, Açores, 1996, com o original "Marés", (novela).
  • "III edição do Prémio Literário 25 de Abril", Paio Pires, 1994, com o original "Marés", (novela)

Monografias[editar | editar código-fonte]

Paula Rego ou a Vertigem de Alice. Porto: Quidnovi, 2010.

Outras publicações em livros[editar | editar código-fonte]

FERREIRA, Emília, Building up from the London 1881 pretext: the birth of the Portuguese National Fine Arts Museum”, in The Museum is Open: Towards a Transnational History of Museums 1750-1940, (Contact Zones) [Hardcover], Walter de Gruyter & Co (19 Dec 2013).

FERREIRA, Emília, "Mily Possoz: uma artista de "fusão"", in Mulheres Pintoras em Portugal: de Josefa d’Óbidos a Paula Rego, coordenação de Raquel Henriques da Silva e Sandra Leandro, Lisboa, Esfera do Caos Editores, 2013.

FERREIRA, Emília, "As Avestruzes bailarinas de Paula Rego ou a queda de Ícaro", in A Dança e a Música nas Artes Plásticas do Século XX, coordenação de Margarida Acciaiuoli e Paulo Ferreira de Castro, Lisboa, Edições Colibri, IHA/Estudos de Arte Contemporânea, Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical, 2012, p. 107-121.

FERREIRA, Emília, "Quando ela diz sim, é sim; quando ela diz não, é não" in Sofia Areal. Lisboa: Babel, 2011.

FERREIRA, Emília, "A construção da memória" [Sobre o pintor Manuel Vilarinho]. Lisboa, s.n., 2010.

FERREIRA, Emília, "100 obras". [Escolha de obras da Colecção do Centro de Arte Moderna da FGC], Lisboa: Editorial Almedina, 2010.

FERREIRA, Emília, "Ruínas de um tempo sem memória", “Reconstrução” de Martinho Costa, Lisboa, OPWAY, 2009.

FERREIRA, Emília, "O Pintor no seu Labirinto", “Rui Macedo: “«Invenzioni Capricciose» segundo Piranesi”, Lisboa, OPWAY, 2008.

FERREIRA, Emília, "Expor para salvaguardar: a importância da Exposição de Arte Ornamental para a história do restauro e da conservação do património móvel em Portugal". “40 anos do Instituto José de Figueiredo”, Lisboa, IPCR, 2007.

FERREIRA, Emília, "Retrato de Almas em Fuga", “Manuel Caeiro: Casas da Caparica”, Lisboa, OPCA, 2005.

FERREIRA, Emília, “Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão: Roteiro da Colecção”, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 2004.

FERREIRA, Emília, "Museus, Educação e Poder", “Garrett e as Artes: Actas do Ciclo de Conferências”, Évora, Centro de História da Arte da Universidade de Évora, 2002.

Colaboração em Periódicos[editar | editar código-fonte]

Semanário “O Jornal” (1989-91), “PÚBLICO” (1993-2001 e 2003-2007) e “DNA” (suplemento cultural do DIário de Notícias, 2002-2003). Redactora da revista MID (1999-2007).

Publicações dispersas, nas revistas “Seara Nova”, "Faces de Eva", "Margens e Confluências", “O Escritor”, "Casa & Jardim" e "Rua Larga".

Léxicos[editar | editar código-fonte]

"Sete Vozes: Léxico Coloquial Luso-Afro-Brasileiro", Lisboa, Lidel, 1997 [autoras: Emília Ferreira, Elizabeth Ceita Vera Cruz e Clenir Louceiro]

Blog literário[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.