Exército industrial de reserva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Exército industrial de reserva é um conceito desenvolvido por Karl Marx em sua crítica da economia política, e refere-se ao desemprego estrutural das economias capitalista. O exército de reserva corresponde à força de trabalho que excede as necessidades da produção. Para o bom funcionamento do sistema de produção capitalista e garantir o processo de acumulação, é necessário que parte da população ativa esteja permanentemente desempregada.1 Esse contingente de desempregados atua, segundo a teoria marxista, como um inibidor das reivindicações dos trabalhadores e contribui para o rebaixamento dos salários.

Segundo Karl Marx, na busca de inovações tecnológicas que lhes propiciem uma vantagem temporária sobre seus concorrentes, os capitalistas tendem a elevar a composição orgânica do capital {c \over v} , substituindo gradativamente a força de trabalho (que é parte do capital variável {v}) por máquinas (que são parte do capital constante {c}), o que resultaria em aumento do desemprego e do exército de reserva.

Segundo os marxistas, o conceito de exército industrial de reserva põe por terra a crença liberal na liberdade de trabalho, bem como o ideal do pleno emprego.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.