Forte da Chartreuse

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Imagem de Liège 1849 com a Cartuxa no planalto

O Forte da Chartreuse ou, na sua forma portuguesa, da Cartuxa[1] (em francês: Fort de la Chartreuse) é o nome dado pelos liègois ao que era o antigo mosteiro, cujos monges foram expulsos pelo exército de Napoleão em 1792 e foi transformado em 1817 em forte, pelo rei Guilherme da Holanda. Evidentemente foi a Cartuxa de Liège edificada entre 1360 a 1794 que deu o nome ao forte.

História[editar | editar código-fonte]

Lugar estratégico porque domina a cidade de Liège e o vale do rio Mosa, o planalto foi ocupada desde 1106 e o edifício foi sucessivamente um mosteiro, em convento fortificado, um forte, uma prisão e finalmente uma caserna [2] .

Em 1990 a Fundação para a conservação (Belga) deu o prémio nacional ao projecto de Aménagement de la Chartreuse e já em 1991 40 hectares do domínio total foram decretados como "local classificado".

Imagens[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Fernandes, Ivo Xavier. Topónimos e Gentílicos. Porto: Editora Educação Nacional, Lda., 1941. vol. I.
  2. La Chartreuse (em francês) Visitado: Março 2014
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Forte da Chartreuse