Fronteira Canadá-Estados Unidos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Fronteira terrestre entre
 Canadá
e  Estados Unidos
Condados dos EUA com fronteira terrestre com o Canadá
Delimita:  Canadá e
 Estados Unidos
Comprimento: 8891 km
Posição: 1
Características: Em duas partes: do sul do Canadá com o norte dos Estados Unidos Continentais e do noroeste do Canadá com o Alasca
Criação: 1783
Traçado atual: 1907
Tratados: Tratado de Paris
Tratado Webster-Ashburton

A fronteira entre o Canadá e os Estados Unidos apresenta uma das maiores extensões de fronteiras no mundo em linha reta, onde não são usadas estruturas naturais. Esta fronteira terrestre é composta por duas secções: uma entre o sul do Canadá e os estados continentais dos Estados Unidos, com 6414 km, e a outra, entre o oeste do Canadá e o Alasca com 2477 km.

No total a fronteira terrestre tem 8891 km, o que faz dela a mais longa fronteira terrestre do mundo.

Traçado[editar | editar código-fonte]

Traçado da fronteira no interior da Haskell Free Library and Opera House (Vermont).

No extremo oeste a fronteira inicia no litoral do Oceano Pacífico, nas proximidades de SGaang Gwaii (Ilha Anthony) (Canadá), separando o estado de Washington (EUA) da Colúmbia Britânica Canadá.

Segue num longo trecho retilíneo cuja direção é a do paralelo 49 N, desde o estado de Washington até ao Lago dos Bosques (contornando o Northwest Angle ou Ângulo do Noroeste), Minnesota, nos Estados Unidos, desde a Colúmbia Britânica até Manitoba, no Canadá.

A partir do Lago dos Bosques e para leste, segue os Grandes Lagos, passando pelo meio, na direção N-S dos lagos Superior, Huron, Erie e Ontário, ficando ao sul os estados americanos de Wisconsin, Michigan e Ohio.

A leste dos lagos segue o contorno norte dos estados americanos de Nova Iorque, Vermont e Maine, segundo o definido pelo Tratado Webster-Ashburton, até ao litoral do Oceano Atlântico. Vai ao longo das províncias canadenses de Ontário, Quebec e Nova Scotia.

  • Fronteira ao noroeste do Canadá:

É a fronteira do Canadá com o estado americano do Alasca. Apresenta ao norte, desde o litoral com o Oceano Ártico, um trecho retilíneo, norte-sul, segundo o meridiano 141 W, junto ao Território de Yukon (Canadá). Daí para o sul (fronteira sinuosa), onde separa a Colúmbia Britânica (Canadá) da região meridional do Alasca, seguindo por uma estreita faixa litorânea do Oceano Pacífico, muito recortada e com muitas ilhas, onde fica a capital do estado do Alasca, Juneau.

Cidades canadenses[editar | editar código-fonte]

As mais importantes cidades canadenses ficam próximas à fronteira ao norte dos Estados Unidos. Do oeste para o leste, estão: Victoria, Vancouver, Winnipeg, Thunder Bay, Toronto, Ottawa, Montreal, Quebec, Fredericton. Na fronteira ficam também as Cataratas do Niágara, no leste.

História[editar | editar código-fonte]

Essa fronteira já fora a divisa do Canadá, ainda domínio do Império Britânico como Confederação do Canadá, com a Rússia, que ainda não vendera o Alasca aos Estados Unidos. Em 1867 ocorreram a Independência do Canadá e a compra do Alasca pelos Estados Unidos, caracterizando assim essa fronteira internacional.

A Comissão Internacional de Fronteiras[editar | editar código-fonte]

A fronteira entre Oregon Country / e Columbia District.

Em 1925, a "International Boundary Commission" (Comissão Internacional de Fronteiras) tornou-se a organização responsável permanente pelos levantamentos topográficos e mapeamento da fronteira, mantendo marcos de fronteira (e bóias) onde necessário), bem como mantendo a fronteira limpa de vegetação numa faixa de 6 metros de largura. Esta "área livre de fronteira" estende-se por 3 metros de cada lado da linha. O orçamento anual da Comissão é de cerca de 1,4 milhões de dólares norte-americanos.[1]

A Comissão tem dois comissários, um de cada país.[2] Em Julho de 2007, a administração Bush despediu o comissário dos Estados Unidos, Dennis Schornack, por causa de uma disputa entre a comissão e o governo sobre construção particular junto à fronteira.[3] Schornack rejeitou a posição do seu governo, afirmando que a comissão é independente, internacionalmente reconhecida e fora da jurisdição dos governos e que, de acordo com o tratado de 1908 que a criou, uma vaga só ocorria devido a "morte, demissão ou incapacidade" de um comissário.[4]

Referências

  1. Schiff, Stacy. "Politics Starts at the Border", New York Times, 22-7-2007.
  2. Organization Chart, International Boundary Commission, acesso em 27 de Julho de 2007
  3. "Blaine couple, U.S. agency settle border wall case", Seattle Times, 15-1-2009.
  4. Bowermaster, David. "Firing by Bush rejected by boundary official", Seattle Times, 12-7-2007.