GQ

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
GQ
Editor Jim Nelson
Frequência Mensal
Editora Conde Nast Publications
Circulação 939,067 (2011)
Categoria Masculina
País  Estados Unidos
Idioma Inglês
Fundação 1957
ISSN 0016-6979
http://men.style.com/gq

GQ (originalmente Gentlemen's Quarterly) é uma revista mensal sobre moda, estilo e cultura para os homens, através de artigos sobre alimentação, cinema, fitness, sexo, música, viagens, desporto, tecnologia e livros. É geralmente entendida como luxuosa e mais sofisticada, do que a Maxim e a FHM.

História[editar | editar código-fonte]

A Gentlemen's Quarterly foi lançada em 1957 nos Estados Unidos como Apparel Arts, uma revista trimestral para homens que foi publicada há muitos anos, em associação com a Esquire.[1] A Apparel foi abandonada logo a partir da primavera de 1958.

Em 1983 a Conde Nast Publications assumiu a publicação e o editor Art Cooper mudou o rumo da revista, introduzindo artigos de outros temas para além da moda, e cria a GQ, uma revista de um modo geral para os homens, em concorrência com a Esquire. Posteriormente, foram lançadas edições internacionais e regionais, em adaptação da vendida nos Estados Unidos. Jim Nelson foi nomeado editor-chefe da GQ, em fevereiro de 2003; durante o seu mandato ele trabalhou tanto como escritor e editor da National Magazine Award. [carece de fontes?] Durante a chefia de Nelson, a GQ tornou-se mais orientada para leitores mais jovens e para aqueles que preferem um estilo mais casual.

A GQ é estreitamente associada à metrosexualidade. O escritor Mark Simpson cunhou o termo num artigo para o jornal britânico Independent sobre a sua visita a uma exposição da GQ em Londres: "A promoção da metrosexualidade foi deixada para os homens do estilo das revistas, como a GQ, Esquire, Arena e FHM; os novos meios de comunicação social, que atingiu o seu auge nos anos oitenta, continua a crescer... Eles com as suas revistas cheias de imagens de homens jovens narcicistas e desportivos, com moda, roupas e acessórios. E eles persuadiram outros homens jovens para estudá-los com uma mistura de inveja e de desejo."

Em abril de 2011 foi lançada a versão brasileira da GQ através da joint-venture Editora Globo-Condé Nast, com a modelo Alessandra Ambrósio na capa e concedendo uma entrevista. Também foi entrevistado o arquiteto Oscar Niemeyer.

Editores da GQ (EUA)[editar | editar código-fonte]

  • Everett Mattlin (1957–1969)
  • Jack Haber (1969–1983)
  • Art Cooper (1983–2003)
  • Jim Nelson (2003–presente)

Publicadores da GQ (EUA)[editar | editar código-fonte]

  • Bernard J. Miller (1957–1975)
  • Sal Schiliro (1975–1980)
  • Steve Florio (1975–1985)
  • Jack Kliger (1985–1988)
  • Michael Clinton (1988–1994)
  • Michael Perlis (1994–1995)
  • Richard Beckman (1995–1999)
  • Tom Florio (1999–2000)
  • Ronald A. Galotti (2000–2003)
  • Peter King Hunsinger (2003–presente)

Editores da GQ (Reino Unido)[editar | editar código-fonte]

  • Paul Keers (1988–1990)
  • Alexandra Shulman (1990–1992)
  • Michael VerMeulen (1992–1995)
  • James Brown (1997–1999)
  • Dylan Jones (1999–presente)

Editor da GQ (Brasil)[editar | editar código-fonte]

  • Ricardo Franca Cruz (2011–presente)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma revista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.