Garcia Fernandez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Garcia Fernandez
Conde de Castela
Garcia Fernandez
Nome completo
Garcia Fernandez
Pai Fernão Gonzalez
Mãe Sancha Sanches de Pamplona
Nascimento 930
Morte 995 (65 anos)

Garcia Fernandez "o das Mãos Brancas" (morto em 995), foi conde de Castela em 970 depois da morte de seu pai.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi o filho mais novo de Fernão Gonzalez, conde de Castela e de Sancha Sanches de Pamplona, filha do rei Sancho Garcês I.[1] Participou em várias campanhas contra os muçulmanos e, de acordo com o Chronicon Burgense, em 995 foi capturado e ferido e morreu tragicamente cinco dias depois no viagem a Córdova.Ainda em vida de seu pai, o filho Sancho Garcia revolta-se contra ele, intitulando-se conde de Castela.[2]

Matrimónio e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou cerca de 960 com Ava de Ribagorza,[3] [4] filha do conde Raimundo II de Ribagorza e de Gersenda de Fézensac, de quem teve:[5]

  1. Sancho Garcia, «o dos Bons Foros» conde soberano de Castilla (m. 5 de Fevereiro de 1017)[6] [4] casado com Urraca Gomez, filha de Gomez Diaz de Saldanha[7]
  2. Gonçalo Garcia (m. depois de 978)[6] [8] [9] [a]
  3. Urraca Garcia (m. ca. 1039) abadessa no Mosteiro de Covarrubias.[3]
  4. Toda Garcia (m. depois de 1036) casada com Sancho Gomes, filho de Gomez Diaz de Saldanha[10]
  5. Elvira Garcia (m. Dezembro de 1017), foi rainha regente de Leão e casou com Bermudo II rei de Leão.[11] [4]
  6. Mor Garcia, casou com Ramon III Pallars, conde de Pallars Jussà. Foi repudiada pelo seu marido. Governou o condado de Ribagorza que depois passou à sua sobrinha Muniadona.[12]
  7. Onneca Garcia (m. depois de 1029), foi primeiro abadessa no mosteiro de San Juan de Cillaperlata e depois freira no Mosteiro de São Salvador de Oña.[12]

Notas[editar | editar código-fonte]

[a] ^ Tradicionalmente, tem sido considerado que o Salvadores são os descendentes do conde Fernão Gonzalez. De acordo com a medievalista Margarita Torres, Salvador Gonçalves e Munio Gonçalves, o genearca dos Lara, foram os filhos de Gonçalo Garcia, filho, do conde Garcia Fernandez e a condessa Ava Ribagorza.[13] O historiador Gonzalo Martínez Díez, no entanto, argumenta que com a documentação disponível, é impossível confirmar essa filiação.[14] Justo Pérez de Urbel em sua obra Sancho el Mayor de Navarra diz: "Em Castilla havia descendentes diretos de Fernão Gonzalez por linha masculina (...) e os Salvadores desceu do segundo casamento do grande conde".[15]

Referências

  1. Martinez Diez 2005, p. 329, Vol. I.
  2. Torres Sevilla-Quiñones de León 1999, p. 214-215.
  3. a b Salazar y Acha 2006, p. 36.
  4. a b c Torres Sevilla-Quiñones de León 1999, p. 215.
  5. Martinez Diez 2005, p. 552-554, Vol. II.
  6. a b Martinez Diez 2005, p. 552, Vol. II.
  7. Salazar y Acha 2006, p. 37-38.
  8. Torres Sevilla-Quiñones de León 1999, p. 215 e 395.
  9. Sánchez de Mora 2003, p. 45, 403.
  10. Martinez Diez 2005, p. 553, Vol. II.
  11. Martinez Diez 2005, p. 524, Vol. II.
  12. a b Martinez Diez 2005, p. 554, Vol. II.
  13. Torres Sevilla-Quiñones de León 1999, p. 395.
  14. Martínez Diez 2005, p. 552.
  15. Sagredo 1975, p. 91.

Bibliografía[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.