Glitter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Amostra de Glitter.

Glitter é uma variedade muito pequena (cerca de 1 mm²) de pedaços de plásticos copolímeros, folhas de alumínio, dióxido de titânio, óxidos de ferro, oxicloreto de bismuto ou outros materiais pintados em metálico, cores neon e cores iridescentes para refletir a luz em um espectro de espumantes.[1] Glitter é normalmente vendido e armazenado em pequenos depósitos semelhante a saleiros, que têm aberturas que controlam o fluxo de glitter, podendo conter uma ou várias cores. Ele é permanentemente aplicado com cola forte, ou temporariamente aplicado com outros materiais pegajosos, como maquiagem. Não deve ser confundido com confetes, que contém pedaços maiores, e também não deve ser confundido com lantejoulas, que são maiores.

O Glitter é usado em projetos de artesanato, especialmente para as crianças, por causa dos efeitos brilhantes que pode ser conseguido com relativa facilidade. Glitter é usado como elemento de decoração, e pode ser adicionado às borrachas e plásticos. Também é frequentemente usado em produtos cosméticos, como gloss e sombra. Cosméticos brilhantes são populares entre os jovens, mas também são usados pelos adultos. O Glitter foi inventado por Henry Ruschmann.[2]

A palavra "glitter" é usada frequentemente para se referir eufemisticamente ao glamour brilhante, mas superficial. A partir deste significado vem o termo "glitterati" para se referir a pop estrelas e socialites. Hoje em dia os Patrimônios do Samba adotaram o Glitter como a sua marca registrada. A palavra é derivada de "glitter" e "literati".[3]

Referências

  1. projects.nfstc.org
  2. A Brief History of Glitter New York Magazine. Visitado em 2007-12-05.
  3. Pocket Oxford Dictionary, 8th Edition