Hitman (DC Comics)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hitman
Placeholder male superhero c.png

Dados da publicação
Primeira aparição The Demon Anual n. 02
Criado por Garth Ennis
John McCrea
Características do personagem
Alter ego Thomas "Tommy" Monaghan
Habilidades Telepatia, visão de raios-x, habilidade com diversos tipos de armamentos
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Hitman (Tommy Monaghan) é um personagem fictício criado por Garth Ennis e John McCrea. Um assassino de aluguel super-humano no Universo DC, apareceu pela primeira vez na revista The Demon Anual n. 2, recebendo posteriormente sua própria série, que durou 60 edições.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Mordido por um parasita alienígena Tommy Monaghan, um mercenário de Gotham. Foi infectado com um vírus que lhe garantiu telepatia limitada e "visão de raios-x". Assim, o mercenário já cheio de recursos usou seus dons para alicerçar sua posição como numero um de Gotham.

Seguindo seu próprio código de honra sinistro, ele apenas mata criminosos e vilões que "continuam a cair em cima de mim". Ele certamente não é nenhum santo mas também não mata indiscriminadamente.Apesar de já ter trabalhado com alguns heróis, como o Batman, a maioria não hesitaria em tacá-lo atras das grades na primeira oportunidade.

Monaghan possui um pequeno grupo de amigos em sua profissão, e todos podem ser achados em sua segunda casa: o Bar do Noonan

Publicação no Brasil[editar | editar código-fonte]

Magnum Force[editar | editar código-fonte]

Hitman começou a ser publicado no Brasil pela editora Magnun Force (divisão de quadrinhos da editora Magnum) em Outubro de 1997. Suas edições eram em formato americano e possuíam um acabamento simples sendo recheadas de muita propaganda dos outros títulos da editora. Apesar do aparente descaso (a primeira edição - tradução da Hitman #1 americana - não trazia nenhuma explicação sobre a origem do personagem, que ocorreu em The Demon Anual #1. Tendo apenas um editorial de Steve Dillon traduzido) e uma periodicidade um tanto defasada (algumas edições tiveram meses de diferença em seu lançamento) a Magnum conseguiu apresentar este novo personagem ao Brasil em cinco edições, fechando o primeiro arco do personagem (Fúria no Arkham) e deixando o segundo (10.000 balas) em aberto. Encerrou seu trabalho com o personagem em Agosto de 1998 com Hitman #5 que trazia uma capa de Marcelo Campos.


Tudo Em Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

Um ano depois a editora Tudo em Quadrinhos assumiu o personagem e publicou um compilado das edições norte americanas Hitman #6 e #7, encerrando asism o arco 10.000 balas deixado em aberto pela editora Magnum Force

Brainstorm[editar | editar código-fonte]

Em abril de 2002 a editora Brainstorm passou a publicar a nova revista mensal do personagem. Com um acabamento mais trabalhado e duas histórias por edição. Infelizmente, a editora encerrou seu trabalho com o personagem no seu décimo terceiro número, deixando um pouco menos da metade das histórias de Hitman ainda inéditas no Brasil. A editora também puclicou sua orgiem, o seu anual e um crossover com o personagem Lobo, todos no seu titulo "Anti-Heróis do Univer DC"

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. The DC Comics Encyclopedia, pág. 198 - Dorling Kindersley Limited (2004) - ISBN 0-7566-0592-x
Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.