Limite de Eddington

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde maio de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
a estrela eta Carinae.

O Limite de Eddington representa a maior luminosidade que uma estrela com certa massa pode ter e ainda estar em equilíbrio hidrostático. Seu nome é uma homenagem ao astrofísico britânico Arthur Stanley Eddington.

Em estrelas de altíssima massa a pressão de radiação domina. O limite nesse sentido é que a pressão da radiação não pode ser maior do que a gravidade local; caso for maior não haverá equilíbrio hidrostático, causando perda de massa.

O limite de Eddington é função da massa do objecto e é normalmente expresso fazendo referência à massa e à luminosidade do Sol:

L_{Eddington} = 33.000  \frac{M}{M_O} L_O

onde

  • LEddington é a luminosidade máxima
  • M é a massa do objecto
  • MO é a massa do Sol
  • LO é a luminosidade do Sol

Pensa-se que a estrela eta Carinae seja o típico exemplo do que ocorre quando é ultrapassado o limite de Eddington.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.