London, Midland and Scottish Railway

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
London, Midland and Scottish Railway
Timbre da LMS, esculpido em pedra na estação de Leeds
Abreviações LMS
Área de operação Inglaterra, Irlanda, Escócia e País de Gales
Tempo de operação 1 de janeiro de 1923[1]31 de dezembro de 1947
Antecessora London and North Western Railway
Midland Railway
Caledonian Railway
Highland Railway
Glasgow & South Western Railway
North Staffordshire Railway
Furness Railway
Sucessora British Railways[2]
Sede Londres, Inglaterra

A London, Midland and Scottish Railway (LMS[3] ) foi uma companhia ferroviária do Reino Unido. Foi criada em 1 de janeiro de 1923 sob o Ato Ferroviário de 1921,[1] que exigia o agrupamento das mais de 120 companhias ferroviárias diferentes em apenas quatro.

A empresa resultante da fusão foi uma estrutura de difícil controle, com inúmeros interesses das diferentes operações ferroviárias. Além de ser a maior organização de transportes do mundo, foi também o maior empreendimento comercial do Império Britânico e a segunda maior empregadora do Reino Unido, depois dos Correios.[4] A LMS também era considerada a maior organização de ações conjuntas do mundo.

Em 1938, a LMS operava 11.056 quilômetros (6.870 milhas) de ferrovias (excluindo suas linhas na Irlanda do Norte), mas sua rentabilidade foi geralmente decepcionante, com uma taxa de retorno de apenas 2,7%. Junto com as outras membras do chamado "Big Four", as companhias ferroviárias britânicas (GWR, LNER e SR), a LMS foi nacionalizada em 1 de janeiro de 1948, tornando-se parte da estatal British Railways.

A LMS foi a maior das quatro grandes companhias de transporte ferroviário ("Big Four")[5] e a única a operar em todas as partes do Reino Unido: Inglaterra, Irlanda, Escócia e País de Gales.

Além das operações ferroviárias, a LMS possuía negócios nas áreas de hotelaria, navegação e transporte rodoviário de mercadorias.

Pessoas notáveis[editar | editar código-fonte]

Presidentes do Conselho de Administração[editar | editar código-fonte]

Sir Guy Granet, Presidente da LMS entre 1924 e 1927[6]
  • 1923-1924: Charles Lawrence, 1º Barão Lawrence de Kingsgate [7]
  • 1924-1927: Sir Guy Granet [6]
  • 1927-1941: Josiah Stamp (Barão Stamp a partir de 1938)[8]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

  • 1926-1941: Josiah Stamp (Barão Stamp a partir de 1938) [9]
  • 1941-1947: Sir William Valentine Wood [6]

Engenheiros mecânicos chefe[editar | editar código-fonte]

  • 1923–1925: George Hughes[1]
  • 1925–1931: Henry Fowler[1]
  • 1931–1932: Ernest Lemon[10]
  • 1932–1944: Sir William Stanier[11]
  • 1944–1945: Charles Fairburn[12]
  • 1945–1947: Henry George Ivatt[12]

Outras pessoas notáveis[editar | editar código-fonte]

  • William Kelly Wallace

Referências

  1. a b c d Whitehouse & Thomas 2002, p. 204.
  2. Whitehouse & Thomas 2002, p. 205.
  3. Tem sido Tem sido argumentado que as iniciais LMSR devem ser usadas para ser coerente com LNER, GWR e SR. Todavia, a imagem corporativa usada pela London, Midland and Scottish Railway era formada pelas iniciais LMS, e essa é a que geralmente é utilizada em círculos históricos. A LMS, ocasionalmente, também usou a sigla LM&SR. Por razões de coerência, a Wikipédia usa as iniciais LMS
  4. Whitehouse & Thomas 2002, p. 7.
  5. Whitehouse & Thomas 2002, p. 15.
  6. a b c Whitehouse & Thomas 2002, p. 38.
  7. Whitehouse & Thomas 2002, p. 37.
  8. Whitehouse & Thomas 2002, p. 39.
  9. Whitehouse & Thomas 2002, pp. 38–39.
  10. Whitehouse & Thomas 2002, p. 56.
  11. Whitehouse & Thomas 2002, p. 46.
  12. a b Whitehouse & Thomas 2002, pp. 58–59.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre London, Midland and Scottish Railway