Maria Edviges de Hesse-Darmstadt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Edviges de Hesse-Darmstadt
Duquesa de Saxe-Meiningen
Condessa de Hesse-Darmstadt
Duquesa de Saxe-Meiningen
Período 1675 – 19 de Abril de 1680
Predecessor Isabel Sofia de Saxe-Altemburgo
Sucessor Doroteia Maria de Saxe-Gota-Altemburgo
Cônjuge Bernardo I de Saxe-Meiningen
Descendência
Ernesto Luís I de Saxe-Meiningen
Bernardo de Saxe-Meiningen
João Ernesto de Saxe-Meiningen
Maria Isabel de Saxe-Meiningen
João Jorge de Saxe-Meiningen
Frederico Guilherme de Saxe-Meiningen
Jorge Ernesto de Saxe-Meiningen
Pai Jorge II de Hesse-Darmstadt
Mãe Sofia Leonor da Saxónia
Nascimento 26 de novembro de 1647
Gießen, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 19 de abril de 1680 (32 anos)
Ichtershausen, Sacro Império Romano-Germânico
Enterro Igreja da Cidade, Meiningen

Maria Edviges de Hesse-Darmstadt (26 de novembro de 1647 - 19 de abril de 1680) foi uma duquesa-consorte de Saxe-Meiningen.

Vida[editar | editar código-fonte]

A 20 de novembro de 1671, Maria casou-se com o duque Bernardo I de Saxe-Meiningen no Castelo Friedenstein em Gota. Na altura, Bernardo governava o Ducado de Saxe-Gota-Altemburgo em conjunto com os irmãos, mas mais tarde tornou-se duque de Saxe-Meiningen. Em 1676, o casal passou a residir na cidade de Ichtershausen. Bernardo mandou construir aqui um castelo ao qual chamou de Marienburg, em honra de Maria Edviges.

Em 1680, Bernardo e os seus irmãos dividiram Saxe.Gota e Bernardo tornou-se o primeiro duque de Saxe-Meiningen. O seu novo ducado era formado sensivelmente pelos mesmos territórios do antigo principado de Hanneberg. No recém-criado escudo existia uma galinha negra que, na altura, era considerado um símbolo de bruxaria. Maria era muito supersticiosa e, desde o momento em que viu o escudo, nunca mais ficou completamente saudável, afirmando que se recusava a entrar na terra da galinha negra. Viria a morrer mais tarde nesse mesmo ano, com apenas trinta e dois anos de idade, pouco depois do nascimento do seu filho mais novo. Faltavam apenas nove semanas para a família se mudar para Meiningen. Foi enterrada na cripta da igreja da cidade em Meiningen.

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Maria casou-se no dia 20 de novembro de 1671 com o futuro duque Bernardo I de Saxe-Meiningen. Juntos tiveram sete filhos:

  1. Ernesto Luís I de Saxe-Meiningen (7 de Outubro de 1672 - 24 de Novembro de 1724), casado com a duques Doroteia Maria de Saxe-Gota-Altemburgo; com descendência.
  2. Bernardo de Saxe-Meiningen (28 de Outubro de 1673 - 25 de Outubro de 1694), morreu aos vinte anos de idade; sem descendência.
  3. João Ernesto de Saxe-Meiningen (29 de Dezembro de 1674 - 8 de Fevereiro de 1675), morreu com um mês de idade.
  4. Maria Isabel de Saxe-Meiningen (11 de Agosto de 1676 - 22 de Dezembro de 1676), morreu com quatro meses de idade.
  5. João Jorge de Saxe-Meiningen (3 de Outubro de 1677 - 10 de Outubro de 1678), morreu com um ano de idade.
  6. Frederico Guilherme de Saxe-Meiningen (16 de Fevereiro de 1679 - 9 de Março de 1746), nunca se casou nem teve filhos.
  7. Jorge Ernesto de Saxe-Meiningen (26 de Março de 1680 - 1 de Janeiro de 1699), morreu aos dezanove anos de varíola; sem descendência.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Maria Edviges de Hesse-Darmstadt em três gerações[1]
Maria Edviges de Hesse-Darmstadt Pai:
Jorge II de Hesse-Darmstadt
Avô paterno:
Luís V de Hesse-Darmstadt
Bisavô paterno:
Jorge I de Hesse-Darmstadt
Bisavó paterna:
Madalena de Lippe
Avó paterna:
Madalena de Brandemburgo
Bisavô paterno:
João Jorge de Brandemburgo
Bisavó paterna:
Isabel de Anhalt-Zerbst
Mãe:
Sofia Leonor da Saxónia
Avô materno:
João Jorge I da Saxónia
Bisavô materno:
Cristiano I da Saxónia
Bisavó materna:
Sofia de Brandemburgo
Avó materna:
Madalena Sibila da Prússia
Bisavô materno:
Alberto Frederico da Prússia
Bisavó materna:
Maria Leonor de Cleves

Referências

  1. The Peerage, consultado a 26 de Fevereiro de 2013

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ernst Julius Walch: Historische, statistische, geographische und topographische Beschreibung der Königlich- und Herzoglich-Sächsischen Häuser und Lande überhaupt und des Sachsen-Coburg-Meiningischen Hauses und dessen Lande insonderheit, Nuremberg, 1811, p. 71. Versão Online
  • Ludwig Bechstein: Mythe, Sage, Märe und Fabel im Leben und Bewusstsein des deutschen Volkes, t.D. Weigel, Leipzig, 1854, p. 259 Versão Online
  • Matthias Müller: Das Schloss als Bild des Fürsten, Vandenhoeck & Ruprecht, Göttingen, 2004, p. 396 Versão Online