O Terceiro Travesseiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de O terceiro travesseiro)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
O Terceiro Travesseiro
O Terceiro Travesseiro livro.jpg
10° edição
Autor (es) Nelson Luiz de Carvalho
Idioma Português
País  Brasil
Assunto Triângulo amoroso
Género Bissexual, romance
Editora Edições GLS
Lançamento 1998
Páginas 208
ISBN 9788586755439
Cronologia
Último
Último
O Dia Seguinte
Próximo
Próximo

O Terceiro Travesseiro é o primeiro romance do escritor brasileiro Nelson Luiz de Carvalho.[1] É uma obra literária de ficção baseada em relatos reais de um garoto que sofreu o preconceito e a dor de um amor incompreendido pela sociedade que o rodeava.

Com uma grande carga erótica, humanizada por fatos corriqueiros do dia-a-dia, o livro contém fortes implicações sociais ao revelar os meandros da consciência de um jovem comum da classe média paulistana perante as solicitações e apelos sexuais do mundo moderno. Em pouco tempo, graças a linguagem simples e crua, o livro tornou-se um grande best-seller, publicado pela Edições GLS.[carece de fontes?]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Dois adolescentes, Marcus e Renato, que estudam na mesma escola, jogam futebol, são muito amigos e de repente passam a compartilhar suas fantasias amorosas e a descobrir em conjunto a sua sexualidade. Mantendo-se fiéis apenas aos seus sentimentos, quando experimentam novas formas de prazer, após vencer a luta para tornar seu relacionamento aceite pelas famílias, a dupla se vê diante de um novo desafio: o aparecimento de uma garota que vai compor a terceira ponta do triângulo, tornando-se o elemento que transforma a situação, até então óbvia, em uma relação inusitada. Ao despertar a bissexualidade de ambos, surgem novos desejos que passam a ser vivenciados de maneira explícita e autêntica.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Bem recebido pela crítica literária e pelo público, foi considerado um marco na literatura gay brasileira, tornando-se um best seller e ícone entre a comunidade GLBT. Já vendeu mais de 200 mil cópias e em breve será lançado no Japão.

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Em 2005, o livro ganhou uma montagem teatral, que lotou o Teatro Augusta . Ficou em cartaz durante cinco meses no respectivo ano. O diretora Reginana Antonini trouxe um tom de comédia que não estava alinhado com o livro, mas a peça agradou grande parte o público.

Sequência[editar | editar código-fonte]

O Terceiro Travesseiro foi dividido em duas partes pelo autor. A segunda parte, chama-se "O Dia Seguinte", que conta como foram os anos seguintes ao término do livro. Não existe previsão ainda de sua publicação, segundo o autor.

Referências

  1. O 3° Travesseiro no site da editora.
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: O Terceiro Travesseiro