Optometria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paciente no foróptero

Optometria é uma ciência da área da saúde, com base na física.

Definição[editar | editar código-fonte]

A palavra optometria deriva etimologicamente do grego optometron, sendo esta decomposta em opto, que provém de opsis que significa "visão" e de metron que significa "medição". A Optometria é uma ciência especializada no estudo da visão, especificamente nos cuidados primários da saúde visual.

História[editar | editar código-fonte]

Desde que foram inventados os óculos em cerca de 1300 d.C., existiram muitos desenvolvimentos na correcção de problemas visuais. Em 1585, Georg Bartisch, foi o primeiro europeu a ser considerado cientificamente "médico oftalmologista", mas era contra o uso de óculos. Durante vários anos a ideia foi seguida pelos oftalmologistas levando a que talvez por isso a Optometria se tenha desenvolvido como uma ciência paralela à medicina. O acto optométrico prosseguiu então pelas mãos dos ópticos e no século XIV em Antuérpia é criada a primeira Guilda dos Oculistas, entidade que regulava o acesso a profissão e as normas de conduta. A regulamentação profissional do exercício da Optometria começou no Reino Unido em 1895 com a criação da Associação Britânica de Óptica que instituiu um exame de capacidades para ser acreditado como óptico refraccionista. Na mesma altura (1896) nos Estados Unidos foi criada a Associação Americana de Óptica e dois anos depois (1898) fundada a Associação Americana de Optometristas.

Optometrista[editar | editar código-fonte]

A profissão existe no mundo há mais de cem anos, sendo praticada em mais de 130 países (inclusive nos EUA, Japão e Europa). [1]

O Optometrista é um profissional independente da área da saúde, com formação superior ou técnica, que está habilitado a examinar e avaliar o sentido da visão, sendo um especialista em diagnosticar e compensar, através de artefatos ópticos e equipamentos oftalmológicos, alterações visuais de origem não patológica e patológica, melhorando o desempenho visual dos pacientes.

O trabalho do Optometrista está voltado para a prevenção de patologias oculares e problemas sensoriais.

Existem vários graus de optometria, pois consoante a necessidade de cada país, o nível de capacidade do optometrista pode ser alto como pode ser baixo. Por exemplo, nos Estados Unidos da America o optometrista tem o nível muito alto, sendo comparável com um oftalmologista. Na America Latina, em países como Colômbia e Venezuela os optometristas tem atuação no cuidado primário da visão diagnosticando e tratando algumas patologias, assim como receitando lentes corretoras para os problemas visuais.

Graduação[editar | editar código-fonte]

No Brasil, a Universidade do Contestado (UnC), no campus de Canoinhas, oferece o Bacharelado em Optometria,[2] cujo grau qualifica o indivíduo como Bacharel em Optometria, bacharel. A UBC - Universidade Braz Cubas - Mogi das Cruzes - São Paulo, Oferta a graduação em Óptica e Optometria, no grau tecnólogo. Ambos reconhecidos pelo MEC.

Em Portugal, a Universidade da Beira Interior (UBI), na Covilhã, e a Universidade do Minho (UM), em Braga, possuem a Licenciatura em Optometria e Ciências da Visão, formando optometristas com o grau académico de Licenciado. Também em ambas as universidades existe o 2º ciclo de formação, ou Mestrado, em Optometria e Ciências da Visão na UBI e Mestrado em Optometria Avançada na UM[carece de fontes?].

Pós-Graduação[editar | editar código-fonte]

A Faculdade de Saúde de Paulista (FASUP)- Paulista-PE, oferece dois cursos de Pós-Graduação reconhecidos pelo MEC, Ortóptica com Ênfase em Reabilitação Visual, que ocorre em Paulista-PE e Neuro-Optometria com Ênfase em Reabilitação Visual que é ministrado em Fortaleza-CE. [6]

Cursos Técnicos[editar | editar código-fonte]

Em São Paulo o Instituto Filadélfia com unidades em mais três estados no Brasil, capacita o indivíduo como Técnico em Ótica e Optometria, tendo o seu curso mais voltado para a área técnica prática, capacitando o aluno de forma a encarar desafios no dia a dia de um laboratório ótico ou atendimento para compensação visual de qualquer pessoa.

Considerações[editar | editar código-fonte]

O optometrista não utiliza qualquer medicamento ou técnica invasiva (excepto nos EUA, Colômbia e Inglaterra). Todos os equipamentos utilizados são de carácter observacional e direcionados para a avaliação quantitativa e qualitativa da visão.

É treinado para reconhecer uma alteração visual de ordem patológica ocular ou sistêmica, encaminhando nesses casos a um profissional da área médica, realizando assim o seu trabalho de prevenção.

Local de exercício da atividade[editar | editar código-fonte]

Podem exercer optometria como profissional liberal em clínicas, consultórios, hospitais, centros de atendimento a saúde, e trabalhar em instituições de investigação e de desenvolvimento. Como também podem promover campanhas de promoção à saúde visual. No Brasil, está prevista pelo artigo 3º do Decreto 20.931/32[3] e o conteúdo das atividades está descrito na Portaria nº 397, de 09.10.2002[4] (Classificação Brasileira de Ocupações – CBO, editada pelo Ministério do Trabalho e Emprego).

Na verdade, há uma grande discussão jurídica entre oftalmologistas e optometristas quanto ao âmbito de suas atuações, Mas tendo, vários profissionais optometristas, decisões judiciais que lhes asseguram o direito de atuarem dentro das atribuições descritas pela portaria 397 do Ministério do Trabalho e Emprego do Brasil.

Atividades[editar | editar código-fonte]

Realiza anamneses individuais, com vista a recolher informações sobre a profissão, hábitos diários do paciente, histórico pessoal e familiar.

Realiza exames subjectivos e objectivos, com a finalidade de detectar defeitos visuais, como erros refractivos, problemas na visão binocular, problemas com a visão de cores e com a visão tridimensional. Mede a estrutura ocular com moldes de referência e determina os valores queratométricos da face anterior da córnea utilizando os equipamentos adequados.

Propõe meios ópticos (óculos) para a compensação das deficiências detectadas ou elabora a indicação clínica dos meios ópticos, de acordo com os resultados das medições morfológicas. Propõe o tipo de lente (plásticas ou minerais) para óculos.

Efetua a avaliação quantitativa, com aparelhagem específica, para apurar graduações e os eixos. Faz a fracção complementar ou adicional dos valores refractivos das lentes. Estuda e ensaia os vários tipos de lentes a fim de escolher as mais adequadas, mediante a escolha dos parâmetros objectivos.

Avalia o comportamento dinâmico das lentes nos olhos, identificando os fatores que possam afetar a saúde dos olhos e alterar a visão. Realiza ensinamentos e aconselha sobre os cuidados de manutenção a ter com os meios ópticos (óculos). Encaminha para o médico oftalmologista os pacientes que apresentem sinais de lesão, patologias e outros estados oculares anormais. Pode participar em ações de sensibilização, de esclarecimento e/ou aconselhamento no âmbito da educação e da promoção da saúde.

Especialidades optométricas[editar | editar código-fonte]

Anomalias da visão[editar | editar código-fonte]

Procedimentos optométricos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Sindicato Nacional dos Optometristas (em português)
  2. UnC - Optometria (em português)
  3. Jus Naveganti (em português) Optometrista tem direito a exercer sua profissão (elaborado em maio de 2009)
  4. Consultório Jurídico (em português) Especialistas em optometria podem prescrever óculos (publicado em 13 de setembro de 2005)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]