Punk (revista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

PUNK magazine foi um fanzine criado em 1975 pelo cartunista John Holmstrom, pelo editor Ged Dunn e por Legs McNeil. Ele usou o termo "punk rock", cunhado pelos escritores da revista Creem alguns anos antes, levando essa expressão à popularidade, o que acabou definindo o novo som produzido por bandas que admirava os The Stooges, os New York Dolls, o MC5 e os Ramones. Ele foi também a primeira publicação a popularizar a cena musical do CBGB.

Foram publicados 15 números entre 1976 e 1979, foi publicado também um número especial em 1981 (O D.O.A. Filmbook) e publicou também outros diversos números. Suas capas incluiam bandas como Sex Pistols, Iggy Pop, Lou Reed, Patti Smith e Blondie.

A revista foi também um veículo para a publicação de artigos relacionados à cena punk em Nova Iorque, e popularizou também famosas casas noturnas de Nova Iorque, tais como o CBGB, Zeppz e o Max Kansas City. Ela publicava também desenhos do mesmo estilo da revista Mad, feitos por Holstrom e também por Peter Bagge, com uma forma mais simples e direta de jornalismo, que era do mesmo estilo da revista Creem. A revista trouxe também uma saída para as escritoras, artistas e fotógrafas, que haviam sido deixadas de lado pelos homens (que já haviam dominado todo o cenário).

Foi também a casa de muitos escritores, que estavam lançando os seus textos pela primeira vez, tais como Mary Harron, Steve Taylor, Lester Bangs e Pam Brown; artistas como Buz Vaultz, Anya Philips e Screaming Mad George; e fotógrafos como Bob Gruen, Roberta Bayley e David Godli.

Em 1977, após o editor Ged Dunn deixar a revista e Legs McNeil se demitir pouco tempo depois, Bruce Carleton (diretor de arte de 1977 à 1979), Ken Weiner (contribuidor de 1977 à 1979) e Elin Wilder, que foram um dos primeiros afro-americanos a se envolverem na cena do CBGB e da cena punk, foram adicionados ao time da revista.

Em 2001, pouco tempo após o onze de setembro, algumas pessoas tentaram reativar a revista, mas não houve êxito. Em 2006, a revista foi reativada e novos materiais estão ainda sendo publicados.

Link Externo[editar | editar código-fonte]