Rotação trienal de culturas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Exemplo do sistema de rotação trienal de culturas.

A rotação trienal de culturas foi uma técnica de agricultura praticada na Idade Média. Consistia em dividir um campo de cultivo em três partes, utilizando-as para diferentes culturas de forma rotativa para melhor aproveitamento do solo e, conseqüentemente, maior produção.

Funcionamento[editar | editar código-fonte]

Durante um ano uma dessas três partes produzia uma determinada cultura (parte nº 1), e uma segunda produzia uma cultura diferente (parte nº 2). A terceira parte ficava em repouso (parte nº 3), isto é, em descanso, de modo a recuperar minerais para um melhor aproveitamento do solo. No ano seguinte a produção da "parte nº 1" passaria a ser feita na "parte nº 2", enquanto que a cultura da "parte nº 3" passaria para o terreno que havia estado em repouso. A "parte nº 1" ficaria então em repouso durante o resto do ano. No terceiro ano, a primeira cultura passa para a "parte nº 3", a segunda para a "parte nº 1" e a "parte nº 2" ficaria em repouso. Por exemplo, a primeira parte poderia conter cevada e a segunda aveia num ano, passando a cevada para a segunda parte e a aveia para a terceira no ano seguinte e entrando a primeira parte em repouso; no terceiro ano, a cevada seria cultivada na terceira parte, a aveia na primeira e a segunda parte estaria em repouso. O sistema assegurava que de três em três anos, parte do campo estivesse em repouso.


Ícone de esboço Este artigo sobre Agricultura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.