Tabela de contingência

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

As tabelas de contingência são usadas para registrar observações independentes de duas ou mais variáveis aleatórias, normalmente qualitativas.

Suponha que se tem duas variáveis, desenvolvimento de tumor maligno (desenvolveu ou não desenvolveu) e hábito de fumar (fumante ou não fumante) e considere uma amostra aleatória (casual) de 100 adultos. Uma tabela de contingência pode ser usada para apresentar essas duas variáveis na amostra estudada, como abaixo. Note que as classes de cada variável são independentes, ou seja, uma pessoa não pode ser fumante e não fumante ao mesmo tempo, e similar ocorre com o desenvolvimento de câncer.

No uso desse tipo de tabela é comum se pretender investigar se as variáveis estudadas têm alguma associação. Pode-se, por exemplo, estudar se o hábito de fumar está ou não associado, de alguma forma, ao desenvolvimento de tumor maligno.

Fumante Não fumante Total
Desenvolveu 43 9 52
Não desenvolveu 44 4 48
Total 87 13 100