Tilápia-do-nilo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaSarotherodon niloticus
Fresh tilapia.jpg

Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Actinopterygii
Ordem: Perciformes
Família: Cichlidae
Subfamília: Pseudocrenilabrinae
Género: Sarotherodon
Espécie: S. niloticus
Nome binomial
Sarotherodon niloticus

A tilápia-do-nilo (Oreochromis niloticus) é um peixe africano da família Cichlidae, conhecido pelos antigos egípcios já em 2000 a.C. Alimenta-se de plâncton (fitoplancton e zooplancton), mas aceita bem ração artificial.

Introdução no Brasil[editar | editar código-fonte]

Foi introduzida no Brasil em 1971 juntamente com Sarotherodon hornorum ou tilápia-de-zanzibar. Anteriormente, em 1952, outra espécie de tilápia foi introduzida, a Tilápia-do-Congo (Tilapia rendalli) de habito alimentar herbívoro, que não se mostrou atraente a piscicultura, acabou virando praga em algumas áreas, e esta sendo substituída pela tilápia-do-nilo que apresenta melhores resultados. Atualmente tem sido amplamente cultivada em tanques-redes [1] .

Reprodução[editar | editar código-fonte]

A incubação dos ovos é na boca, diferindo da Tilapia redalli que a faz em ninhos, sendo este o principal aspecto de separação dos gêneros Tilapia e Sarotherodon

Criação Monossexo[editar | editar código-fonte]

A criação monossexo ou cultivo monossexo é empregado para o controle da reprodução e, também, aproveitar o maior crescimento dos machos de tilápia, ou, no caso de trutas, as fêmeas é que apresentam melhor crescimento.

Monossexo por seleção de machos

A forma, de menor emprego de tecnologia, para se criar somente machos (monossexo) é a seleção sexual (as fêmeas na papila genital apresentam, uretra, ouviduto e ânus e os machos somente uretra e ânus), porém é muito trabalhosa, é necessario verificar cada peixe, e apresenta muitos erros.

Monossexo por cruzamento

O cruzamento destas duas espécies, usando-se machos de Sarotherodon hornorum com fêmeas de Sarotherodon niloticus, apresenta somente machos, e é uma dos motivos do porque as duas espécies foram importadas juntas.

Monossexo por reversão de fêmeas em machos

É a reversão sexual de alevinos fêmeas em machos, usando hormônio 17-alfa-metil testosterona [1], que é a mais empregada.

Sinonímia[editar | editar código-fonte]

(Oreochromis niloticus) = (Tilapia nilotica) =(Sarotherodon niloticus)

Anteriormentea a tilápia-do-Nilo foi classificada no gênero (Tilapia), e foi mudado o gênero para (Oreochromis) porque os ovos são incubados na boca da fêmea, e o primeiro ficou para as espécies que não incubam os ovos na boca (o fazem em ninhos). O Gênero Sarotherodon, alguns autores a classificam nele, possui incubação de ovos na boca do macho, em algumas espécies, e em outras na boca da fêmea.

Referências

  1. Azevedo-Santos, V. M.; Rigolin-Sá, O.; Pelicice, F. M. 2011. Growing, losing or introducing? Cage aquaculture as a vector for the introduction of non-native fish in Furnas Reservoir, Minas Gerais, Brazil. Neotropical Ichthyology, 9(4): 915-919

Ligação Externa[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Tilápia-do-nilo


Ícone de esboço Este artigo sobre peixes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.