Tosefta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Toseftá (do hebraico תוספתא suplemento) é o nome dado a uma segunda compilação da lei oral no período da redação da Mishná (cerca de 200 d.C.).

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.

coleção escrita de leis orais terminada por volta de 300 EC, chamada Tosefta, diz o seguinte sobre os escritos cristãos que eram queimados no sábado: “Os livros dos evangelistas e os livros do minim [considerados cristãos judeus] eles não salvam do fogo. Mas são queimados no lugar onde estão, . . . eles e suas referências ao Nome Divino.” A mesma fonte cita o Rabino Yosé, o Galileu, que viveu no início do segundo século EC, como dizendo que em outros dias da semana “devem-se recortar deles [dos escritos cristãos] as referências ao Nome Divino e escondê-las, e queimar o restante”. Assim, há fortes indícios de que os judeus do segundo século EC acreditavam que os cristãos usavam o nome Jeová nos seus escritos.