Vale da estranheza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O vale da estranheza (em inglês: uncanny valley) é uma hipótese no campo da robótica[1] e da animação 3D[2] [3] que diz que quando réplicas humanas se comportam de forma muito parecida — mas não idêntica — a seres humanos reais, elas provocam repulsa entre observadores humanos. O "vale" em questão advém de um gŕafico da reação positiva de um ser humano em função da verossimilhança de um robô. A expressão foi introduzida pelo professor japonês de robótica Masahiro Mori em 1970, sob o título Bukimi no Tani Genshō (em japonês: 不気味の谷現象).

Hipótese[editar | editar código-fonte]

A hipótese original de Mori diz que, à medida em que a aparência do robô vai ficando mais humana, a resposta emocional do observador humano em relação ao robô vai se tornando mais positiva e empática, até um dado ponto onde a resposta rapidamente se torna uma forte repulsa. Entretanto, à medida em que a aparência continua a ser menos distinguível de um ser humano, a resposta emocional passa a ser positiva novamente e finalmente aproxima-se do nível de empatia entre dois humanos reais.

Referências

  1. The Truth About Robotic's Uncanny Valley - Human-Like Robots and the Uncanny Valley - Popular Mechanics www.popularmechanics.com. Visitado em 5 de maio de 2012.
  2. When fantasy is just too close for comfort - Entertainment - theage.com.au www.theage.com.au. Visitado em 5 de maio de 2012.
  3. Digital Actors in 'Beowulf' Are Just Uncanny - NYTimes.com bits.blogs.nytimes.com. Visitado em 5 de maio de 2012.
Ícone de esboço Este artigo sobre Engenharia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.