Zahlé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde maio de 2010). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Zahlé
Beqaa-vineyard.JPG
Videiras em Zahlé, no centro do Vale do Beqaa
Árabe زحلة
Governo Cidade
Coordenadas 33° 50′ N 35° 55′ E
População 130 000 (2006)
Jurisdição 19,8 dunams (19.8 km²)
Prefeito Assad Zogaib
Mapa do Líbano, onde é possível visualizar a localização de Zahlé.

Zahlé (em árabe: زحلة), também chamada de Zahlah ou Zahleh) é a capital de Beqaa, Líbano. Com população estimada em cerca de 120,000 pessoas, em sua maioria cristãos, é a terceira maior cidade do Líbano[carece de fontes?]. É considerada uma das principais cidades do vale do Beqaa e é famosa pelo seu ar puro, seus hotéis e resorts e comida típica de alta qualidade. Trata-se da principal referência gastronômica libanesa.

Geral[editar | editar código-fonte]

A cidade está situada no centro do vale do Beqaa, na região mais fértil do país, a 52 quilômetros a leste da capital Beirute. É possível dirigir de carro de Zahlé até Beirute em uma hora, dependendo das condições do trânsito.

Possui extensas cavernas subterrâneas, construídas em torno de uma gruta natural conhecida e ampliada pelos romanos.

Zahlé é uma cidade com intensa movimentação cultural, tal qual Baalbeck. É conhecida também pelo cultivo de vinhedos e pela produção de bons vinhos.

História[editar | editar código-fonte]

Zahlé foi fundada há cerca de 300 anos atrás.[1] No início do século XVIII, a nova cidade foi dividida em três partes, cada qual com seu governo[carece de fontes?].

Em meados do século XIX, a cidade passou por um breve período de "Estado Independente", ocasião em que até mesmo uma bandeira própria fora produzida [carece de fontes?].

Em 1885, foi construída uma ferrovia que ampliou o comércio, transformando a cidade em um "porto interno" do vale do Beqaa.[1] Foi também o centro da agricultura e do comércio entre Beirute e Damasco, Mosul e Bagdá. Considerada o local estratégico do exército libanês, Zahlé tem ocupado um importante papel na vida política do país.

Restaurantes no rio Bardouni em Zahlé[editar | editar código-fonte]

O rio Bardouni nasce no monte Sannine passando por dentro de Zahlé. Com águas rasas, especialmente no verão, pela baixa quantidade de chuvas e neve nas montanhas libanesas, é considerado o melhor local da cidade quando se fala em comer ao ar livre[carece de fontes?].

A tradição dos restaurantes na região do Bardauni é secular, e começou com simples cafés. Hoje em dia pode-se encontrar os mais sofisticados locais para alimentação, que de forma curiosa são nomeados "cassinos"[carece de fontes?]. Estes estabelecimentos oferecem comidas típicas, além do café libanês. Em cima do vale do Bardauni estão restaurantes como EL Reem de Kaa, conhecidos também pela qualidade de seus alimentos e ambientes.

Vinhos e arak[editar | editar código-fonte]

A associação de Zahlé com a uva é notável, porque encontra-se no coração de uma área que produz vinho de forma secular. Na entrada do sul da cidade a estátua de uma fêmea graciosa personifica o vinho e a poesia.

Os montes no norte da cidade, como Hadi, Harqat, Bir Ghazour e Diz Zeina são cobertos com plantações e vinhedos que fornecem matéria prima para indústrias do vinho e do arak, uma bebida alcoólica aromatizada, destilada de uva e típica da região. Muitos dos vinhos de Zahlé foram reconhecidos formalmente no exterior por sua qualidade inigualável, digna dos melhores vinhos europeus[carece de fontes?]. Uma excursão pelo interior de Zahlé é uma maneira boa ver como o vinho e o arak são feitos.

Celebrações locais[editar | editar código-fonte]

Todos os anos entre os dias 10 e 20 de setembro, acontece o famoso Festival do Vinho de Zahlé, que se realiza nas montanhas da cidade, coincidindo-se a data, com o Festival das Flores, também bastante popular na região.

Neste festival é eleita a Miss Vinho, e carros fazem carreatas pela cidade coberto de flores, representando um símbolo nacional.

Zahlé, como maior cidade cristã do Líbano[carece de fontes?], se destaca pelo famoso Festival de Corpus Christi, que teve sua primeira edição em 1825, data esta que coincide com a época em que a cidade passava por sérios problemas de pragas contagiosas.

O Festival de Corpus Christi é comemorado na primeira quinta-feira de junho. Na manhã seguinte, é celebrada uma missa na Igreja de Nossa Senhora de Najat, seguida por uma procissão, na qual boa parte da população da cidade participa carregando o "pão sagrado" através das ruas.

Toponímia[editar | editar código-fonte]

Especula-se que o nome Zahlé é derivado do verbo árabe زحل (zahhala), que significa vá em frente, deslocar-se [carece de fontes?]. Mas para alguns historiadores, o nome é derivado da palavra árabe zahl, que significa desmoronamento, e remete ao surgimento da cidade, que foi construída sobre os destroços da cidade antiga soterrada por um terremoto.[2]

Referências

  1. a b MiddleEast.com (html) (em inglês). Visitado em 27 de dezembro de 2008.
  2. Família D. História de Zahlé (html) (em português). Visitado em 27 de dezembro de 2008.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Zahlé
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Líbano é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.