Ápio Cláudio Russo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Ápio Cláudio Crasso.
Ápio Cláudio Russo
Cônsul da República Romana
Consulado 268 a.C.
Morte 268 a.C.

Ápio Cláudio Crasso Russo (m. 268 a.C.; em latim: Appius Claudius Crassus Russus) foi um político da gente Cláudia da República Romana eleito cônsul em 268 a.C. com Públio Semprônio Sofo. Era o filho mais velho de Ápio Cláudio Cego e foi, aparentemente, o último de sua gente a utilizar o cognome "Crasso".

Consulado (268 a.C.)[editar | editar código-fonte]

Foi eleito cônsul em 268 a.C. com Públio Semprônio Sofo. Os dois cônsules terminaram a campanha contra os picenos, iniciada no ano anterior, na Batalha de Ascoli, colocando definitivamente a região sob controle romano.[1][2][3][4] Suetônio menciona Ápio Cláudio Russo em uma breve passagem das "Vidas dos Césares", afirmando que ele, depois de ter mandado erigir uma estátua coroada por um diadema no Fórum Romano, tentou apoderar-se da Itália por meio de seus clientes.[5]

Cláudio morreu durante seu mandato[6].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul da República Romana
SPQR.svg
Precedido por:
'Quinto Ogúlnio Galo

com Caio Fábio Pictor

Ápio Cláudio Russo
268 a.C.

com Públio Semprônio Sofo

Sucedido por:
'Lúcio Júlio Libão

com Marco Atílio Régulo


Referências

  1. Eutrópio II 16
  2. Floro I 14, 2; Paulo Orósio IV 4, 5ss.
  3. Lívio, Ab Urbe Condita Epit. 15
  4. Frontino, Strategemata I 12, 3
  5. Suetônio, Vidas dos Césares, Tibério, II.
  6. Fasti Capitolini [em linha]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Broughton, T. Robert S. (1951). «XV». The Magistrates of the Roman Republic. Volume I, 509 B.C. - 100 B.C. (em inglês). I. Nova Iorque: The American Philological Association. 578 páginas